Home Blog

O passo a passo de um projeto de e-commerce

0
Passo a passo de um projeto de e-commerce

O passo a passo de um projeto de e-commerce consistente

Quando vão construir seu negócio virtual, muitas pessoas contratam uma empresa especializada em desenvolvimento de loja virtual. Pode ser a melhor empresa do mundo. Todavia, não basta ter um bom sistema.

Quando você vai abrir o seu negócio, o que você faz? (pelo menos espero que você faça isso, por favor!) Procura o Sebrae, assiste palestras, faz cursos e desenvolve um plano de negócio.

Você deve fazer o mesmo para sua loja virtual. Não é porque o negócio é virtual que o seu preparo também deve ser “virtual”, entende?

O que acontece, é que vários pontos que são aplicados no comércio “tradicional” também devem ser aplicados ao e-commerce, só que de outra forma. Vamos a eles então.

Análise da concorrência

Considero esse um dos pontos mais importantes do planejamento para e-commerce, pois na internet, a concorrência é muito mais agressiva e não está apenas na mesma rua ou cidade. Está no mundo todo. Basta apenas um clique.

Vários itens são primordiais, entre eles estão:

  • Análise completa dos sites de seus concorrentes
  • Análise de preços, forma de pagamentos e prazos de entrega
  • Pontos fortes e fracos da concorrência
  • Posicionamento web da concorrência
  • Estratégias de marketing digital utilizadas por eles

Planejamento estratégico

Nesse ponto você deve definir qual o papel que sua empresa assumirá na web.

  • Posicionamento de mercado da empresa (maior variedade, mais barata, maior qualidade de produtos…)
  • Matriz F.O.F.A. (forças, oportunidades, fraquezas e ameaças) digital
  • Missão e valores
  • Região de atuação

Planejamento de e-logística

Mais um ponto crítico do projeto (e qual não é), esse pode, quando planejado de forma adequada, ser um diferencial e fidelizar clientes. Mas quando mal realizado, esse cliente nunca mais voltará a fazer negócio com você (e ainda falará mal para terceiros).

Os pontos mais importantes da e-logística são:

  • Formas de entrega
  • Empresas parceiras
  • Controle de estoque
  • Métodos de separação e expedição
  • Prazos das entregas (importantissímo)
  • Fretes
  • Definição dos métodos de tracking (acompanhamento de pedidos)

Desenvolvimento da loja virtual

Esse passo deve ser realizado sem pressa. O desenvolvimento de sua loja é como a construção de uma loja física. Pense que tudo deve ser elaborado pensando na satisfação de seu cliente.

  • Levantamento do briefing
  • Definição das formas de atendimento ao cliente
  • Definição de ferramentas e funcionalidades do sistema
  • Desenvolvimento do wireframe
  • Desenvolvimento da arquitetura do site
  • Desenvolvimento da loja virtual (programação e layout)
  • Análise de usabilidade
  • Teste de qualidade do sistema

Planejamento de marketing digital

Esse ponto é o que fará com que tudo que você pensou e planejou até o momento funcione.

Como diz o ditado, a propaganda é a alma do negócio. Muita coisa boa vende menos que coisas “mais ou menos”. Esse é o poder do marketing.

  • Análise do negócio e estratégias utilizadas pela concorrência
  • Definição da verba para divulgação
  • Definição das ferramentas utilizadas na estratégia de marketing
  • Definição de relatórios e KPI’s (chaves para monitoramento online do negócio)
  • Criação da campanha de marketing digital
  • Definição de formas para fidelização dos clientes
  • Monitoramento e análise constante do negócio

Providencie também um relatório de demanda na web antes de iniciar seu negócio. De nada adianta tudo isso se não existe procura pelo seu produto.

O passo-a-passo de um projeto de e-commerce consistenteFaça para seu negócio virtual o planejamento que faria para qualquer tipo de negócio que você fosse abrir.

Não pense que você vai ficar na frente de um computador, esperando chegar as confirmações de vendas efetuadas e apenas enviar o produto.

E-commerce dá o mesmo ou geralmente mais trabalho que uma loja convencional. Tenho clientes que trabalham até as 22:00 horas e em feriados, além de ser obrigatório o fim de semana.

O ideal é que você contrate uma empresa que auxilie corretamente e que tenha “know-how” para isso.

Não se deixe enganar por oportunistas, e lembre-se: “o barato pode sair caro”. Uma empresa séria não vai trabalhar praticamente de “graça” para você. Entenda isso se você não quiser ser “engolido” pela concorrência.

Mantenha-se atualizado sobre esse e outros aspectos envolvendo o e-commerce, assinando a nossa Newsletter.

Por Mayko Franceschi

Salvar

O passo a passo de um projeto de e-commerce
5 (100%) 3 votos

10 dicas para montar um e-commerce

0
10 dicas para montar um e-commerce

10 dicas que você deve saber antes de montar um e-commerce

Talvez seja nossa economia mais aquecida, mas de uns tempos pra cá fui questionado diversas vezes sobre qual plataforma de e-commerce escolher, o que é bem compreensível, afinal são milhares de opções.

No entanto, minha resposta é quase sempre mais genérica, pois plataforma alguma fará o trabalho sozinha, é aquilo que você extrai dela e como pode adaptar ao seu negócio.

Compreendo que, para quem veja pela primeira vez, pode parecer apenas detalhes. Mas que podem fazer toda a diferença, aqui vão alguns deles:

Defina seu plano de negócios

Assim como em qualquer negócio, você precisa saber o que vai vender e para quem vender. Isso vai definir a maneira como apresentar seus produtos.

Nada melhor para isso do que a elaboração de um plano de negócios para seu e-commerce. Na internet existe outra grande vantagem em entender bem as dúvidas de seu público-alvo, vai ajudar a produzir conteúdo único e de qualidade.

Isso é importante, pois pode fazer você se destacar nos mecanismos de busca, aumentando suas visitas e possibilitando mais vendas.

Descreva bem seus produtos

Se você acha que pode simplesmente copiar a descrição que vem juntamente na caixa do produto ou site institucional do fabricante repense.

Se seu conteúdo é igual a todos, como espera se destacar nos motores de busca? Buscadores (Google e Bing) não gostam de conteúdo duplicado e podem inclusive penalizar seu site, além disso, se alguém está procurando a informação de um determinado produto na web é porque possui interesse naquele determinado produto.

Ter uma descrição única não é apenas um diferencial para o SEO, mas pode ser a diferença entre fechar ou não aquela determinada venda.

Imagem é tudo

Quantas vezes uma vitrine bem montada não lhe atraiu para a loja? Na internet é ainda pior! O design da sua loja e a foto dos produtos influenciam muito a compra, lembre-se que o cliente não terá o toque, não sentirá o cheiro e na maioria dos casos também não poderá experimentar o produto.

Tem fotos legais em todos os ângulos e cores possíveis? Zoom para poder ver mais de perto? Vídeos demonstrativos? Tenha todos se possível!

Seja social de verdade

10 dicas que você deve saber antes de montar um e-commerce
10 dicas para montar um e-commerce

Em um artigo anterior, escrevi sobre as seis dimensões do social commerce, mas sei que ainda está longe de ser realidade para todos.

A maioria simplesmente acredita que abrir uma conta no Twitter e criar uma página no Facebook resolverá tudo, mas no final só fica “floodando a timeline” de seus clientes e depois não sabe por que a comunidade nunca cresce.

Se pensar em usar redes sociais para aumentar a exposição do seu negócio, então use de verdade para entender seus clientes, saber o que desejam e o que esperam, bem como feedbacks de como você pode melhorar a vida dessas pessoas.

Parece Piegas? É real, se gosta de ler procure o livro “Entregando Felicidade” sobre a Zappos.com, um site de venda de sapatos que aplica, como ninguém, o conceito de customer service dentro do próprio site e através de redes sociais e vende cerca de US$ 1 Bilhão (sim você leu certo) anualmente.

Conteúdo nunca é demais

Mais conteúdo = Mais canais de entrada = Mais vendas.

Ok. Não é tão simples assim, porém boa parte disso é verdade, mais conteúdo possibilita que você indexe mais páginas, buscadores adoram sites grandes, além disso, diversificar conteúdo em redes sociais também pode trazer visitas.

Só se lembre que não vale só ter quantidade, tem que ter qualidade.

Google Analytics é seu melhor amigo

Imagina receber relatórios de onde veio cada usuário, saber que palavra-chave ele digitou no buscador, quais páginas ele acessou até finalizar a compra?

Uma boa (e bem customizada) ferramenta de web analytics faz isso e muito mais.

Existem várias outras ferramentas de web analytics no mercado, mas o Google Analytics é gratuito e de começo dá conta do recado, aprenda a usá-lo e quando puder contrate um profissional da área. Vale a pena.

Envie grátis

Muita gente desiste na última hora, pois percebe que a taxa de envio encareceu demais a compra e, algumas vezes, chega a tornar a compra inviável de verdade, lembre-se esse é um fator decisivo na compra.

Seja direto como um soco na boca

Acredite, seu cliente provavelmente já terá diversas distrações quando entrar em sua loja, afinal não é só você que fica com várias abas abertas no navegador e ainda escutando música.

Um banner no meio do processo de compra pode fazer com que ele fuja de seu site e acabe caindo no site do concorrente. Pense nisso quando tiver a “genial ideia” de inserir anúncios dentro do seu site sem nenhum tipo de planejamento.

Busque seu diferencial

No mundo físico, uma loja com um bom ponto comercial (bem localizada) pode ser a diferença entre um negócio mediano e outro excepcional, na internet, onde tudo está a poucos cliques de distância, a menor diferença pode fazer estragos.

No comércio eletrônico não é diferente. Você precisa criar um diferencial para sua loja virtual se destacar entre as milhares de outras.

O que a sua loja tem que faz valer a pena? Qual é a sua qualidade única e que faz você se destacar na multidão? Pense nisso.

Teste tudo que puder

É possível criar variações de páginas de produtos e simplesmente comparar quais possuem maior taxa de conversão, é mais efetivo na hora de gerar uma venda.

Uma forma de fazer isso é através de testes A/B, mas existem outras e não vou me aprofundar no post. O importante é saber que, através deste tipo de teste, você pode simplesmente comparar o que melhor funciona no seu negócio de forma progressiva.

Vale lembrar que pequenos detalhes fazem grande diferença!

Por fim, e não menos importante, leia muito

Taxa de conversão, ticket médio e CTR já são termos familiares pra você? Eles deveriam ser. Leia tudo o que puder sobre e-commerce e ainda será pouco.

Há no mercado, profissionais especializados em diversas áreas específicas. Contrate-os sistematicamente na medida em que seu negócio for crescendo.

Mantenha-se atualizado sobre essas dicas para montar um e-commerce e outras, assinando a nossa Newsletter.

Fonte: Coletivo Mídia Boom

Salvar

Salvar

10 dicas para montar um e-commerce
5 (100%) 1 voto

Estratégia de remarketing com links patrocinados

0
Estratégia de remarketing com links patrocinados

Estratégia de remarketing com links patrocinados no Google AdWords

Remarketing significa divulgar novamente, termo utilizado no marketing quando o objetivo é recuperar clientes e/ou atingir um target que já teve algum tipo de interação com a marca. Existem várias formas de se fazer remarketing: através de ligação por telefone, mensagem de texto, e-mail marketing, etc. Como o assunto aqui são Links Patrocinados, abordarei apenas Remarketing no Google, que possibilita seus anúncios aparecerem na Rede de Display somente para pessoas que já visitaram o seu site.

Considerada por muitos especialistas a técnica mais avançada de publicidade online, as campanhas de remarketing costumam trazer muito mais resultado que a Rede de Display do tradicional ou Rede de Pesquisa. Principalmente quando o objetivo é vender em sites de e-commerce, pois os anúncios são direcionados para um target que já interagiu com a marca, o que aumenta a probabilidade de compra.

Alterações recentes no Remarketing

Quem acompanha as modificações do Google AdWords, sabe que nos últimos meses houve alterações relevantes na ferramenta de remarketing.

Antes, por exemplo, precisávamos ter uma quantidade mínima de 500 usuários por lista de remarketing, o que dificultava a aplicação em contas com investimento mensal reduzido.

Outra dificuldade era a de instalar um código diferente para cada página que quiséssemos criar listas, mas agora basta uma tag em todo o site e podemos cria-las segmentando de acordo com as URLs acessadas.

Criando listas de Remarketing

Estratégia de remarketing com links patrocinados no Google AdWordsA implementação de Remarketing começa ao instalar no site uma tag de JavaScript fornecida pelo Google AdWords. Quando os visitantes do site passam por estas páginas o script salva um cookie na máquina do usuário e envia os dados para os servidores do AdWords.

Por questões de privacidade é impossível saber quem são essas pessoas, e basta limpar os dados de navegação para o usuário deixar de fazer parte deste target.

Ao atingir a quantidade mínima de 100 usuários por página, estamos aptos a criar campanhas de anúncios gráficos, vídeo ou texto para este público-alvo qualificado.

Criando listas no Analytics

Recentemente, o Google para facilitar ainda mais o nosso trabalho, liberou a possibilidade de gerar listas de remarketing a partir do próprio código do Google Analytics, sem precisar instalar o código de remarketing!

Com isso poderemos criar listas de segmentação a partir das URLs acessadas ou das próprias métricas do Analytics, como tempo de permanência na página, taxa de rejeição, visitas/página, etc.

Para criar pelo Analytics, basta ir em Administrador > Remarketing e criar sua lista com uma infinidade de segmentações.

Remarketing: perseguição ou destino?

Alguns dizem que Remarketing é perseguição! Muitos usuários provavelmente já tiveram a impressão de estar sendo seguidos por anúncios enquanto navegava pelos mais variados sites da internet.

Certa vez ouvi uma história bem interessante contada pelo @Gerson_Ribeiro: uma mulher estava quase comprando um sapato online e desistiu. Mais tarde, todo site que ela entrava via o banner do tal sapato, dito e feito: comprou. Depois foi explicar para o marido: Amor, você não acredita. Vi um sapato lindo em um site ontem e não comprei. Quando foi hoje, todo site que eu entrava lá estava ele… sabe? Coisa do destino! Tive que comprar.

Agora deve estar mais claro como funciona “por de traz das cortinas” esta ferramenta poderosíssima. Tanto para o usuário que estará exposto a anúncios mais relevantes, como para os responsáveis por e-commerce que poderão fazer seus produtos parte do destino de quem realmente quer comprar.

Fonte: Digitas do Marketing

Salvar

Salvar

Estratégia de remarketing com links patrocinados
5 (100%) 2 votos

Gestão de campanhas Adwords

0
Gestão de campanhas no Google Adwords

Gestão de campanhas no Google Adwords

No marketing de busca, a gestão de campanhas AdWords é uma das funções mais desafiadoras que um profissional de marketing digital pode se deparar. A ferramenta de links patrocinados do Google oferece tantas opções que faz do gerenciamento AdWords uma verdadeira arte.

Quando você vê os anúncios do Google AdWords nas páginas de resposta do Google ou espalhado por sites e blogs por toda Internet, não faz ideia da verdadeira operação de guerra que é o gerenciamento profissional de uma campanha AdWords.

O que faz a gestão de campanhas AdWords uma atividade tão instigante é a quantidade de variáveis que determinam o sucesso ou fracasso de uma campanha. O conhecimento das técnicas de marketing de busca e do próprio ambiente de gestão de campanhas do AdWords são requisitos básicos para os profissionais desta área. Se por acaso você ainda não sabe o que Google AdWords, leia esse artigo.

Etapas da gestão de campanhas AdWords

Gestão de campanhas no Google AdwordsO processo de gestão de campanhas AdWords passa por duas etapas distintas, a do planejamento e a gestão do dia a dia.

São etapas bem distintas e onde expetises diversas são aplicadas, o que exige muito do profissional desta área.

Em um primeiro momento, são necessárias uma série de ações de planejamento estratégico para estruturar a campanha de AdWords. Entre elas, podemos destacar:

  • Análise do cenário onde se dará a campanha e dos concorrentes
  • Definição da estratégia de campanha
  • Escolha das palavras-chave com maior potencial de conversão
  • Estruturação dos elementos de campanha (anúncios, textos, canais e etc…)

Os profissionais de busca paga, sejam agência Google AdWords, consultoria ou profissionais free lancer que também já passam a fazer parte deste leque de opções no Brasil, sabem da importância dessa etapa e por isso não a negligenciam.

Gerenciamento AdWords – A rotina diária

A gestão diária de campanhas AdWords é a etapa seguinte do processo. O trabalho de anunciar no AdWords não é simplesmente criar um anúncio e depois ficar esperando as pessoas clicarem e converterem.

Para que isso aconteça, a consultoria Google AdWords elabora uma série de relatórios que passam a ser os orientadores de campanha. Alguns destes relatórios servirão também para a apresentação de resultados aos clientes, pois de certa forma, o gerenciamento de campanhas de Google AdWords se conclui com a entrega de ROI para os clientes.

A análise de métricas consagradas para o gerenciamento de campanhas de links patrocinados como CTR, Índice de Qualidade e ROI, entre outras, é tarefa que exige muito conhecimento e dedicação dos profissionais envolvidos.

A gestão de campanhas AdWords é uma atividade dinâmica e requer ajustes finos constantes. Por vezes, uma simples alteração na landing page do anúncio, muda completamente o desempenho da campanha.

Se você pretende criar campanhas de Google AdWords para divulgar sua loja virtual, prepare sua equipe ou então terceirize através da contratação de uma agência especializada em gestão de campanhas AdWords, pois é realmente trabalho para profissionais, como tudo no mundo do marketing digital.

Por Aberto Valle no Guia de E-commerce

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Gestão de campanhas Adwords
5 (100%) 3 votos

Estratégias de email marketing: Quebrando paradigmas na comunicação

0

Estratégias de email marketing – Quebrando os paradigmas na comunicação

Com o advento da Web 2.0 os preceitos sobre o funcionamento da comunicação estão tendo que ser revistos.

O modelo antigo de comunicação era um em que havia um movimento unilateral entre emissor e receptor da informação.

Nessa época, era impossível, ou praticamente impossível, para o receptor dar algum tipo de feedback sobre o teor da mensagem passada. Isso mudou, e muito.

Após o advento da Web 2.0 o conteúdo passou a ser produzido não somente pelos antigos emissores de informação, os órgãos de mídia, mas passou a ser compartilhado e também produzido pelos antigos receptores.

Esses últimos deixam uma posição passiva no modelo de comunicação para ocuparem uma de participação colaborativa. Compare um gráfico dos dois modelos e veja a diferença:

Modelo antigo unilateral:

Novos paradigmas na comunicação

Modelo atual colaborativo:

Novos paradigmas na comunicação

O que você deve pensar agora é como encaixar a sua estratégia de email marketing dentro desse contexto. Você ainda se baseia no paradigma antigo de mão única da informação ou tem uma relação de colaboração com seu cliente? Você ouve o que o seu cliente tenta falar?

Uma proposta de email marketing que leve o novo conceito em consideração trabalha com feedback dos contatos, com mídias integradas e com compartilhamento de informações.

Você está implementando estes conceitos na sua estratégia de e-mail marketing?

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Estratégias de email marketing: Quebrando paradigmas na comunicação
5 (100%) 1 voto

Como começar um negócio com programas de afiliados

0
Como começar um negócio com programas de afiliados - Veja o passo a passo

Como começar um negócio com programas de afiliados – Veja o passo a passo

Nesse artigo vamos falar sobre como começar um negócio com programas de afiliados, um segmento do mercado que vem crescendo a passos largos no Brasil e no mundo.

As grandes empresas brasileiras descobriram o potencial dos programas de afiliados, e é cada vez maior o número de marcas que estão adotando essa ferramenta de marketing digital para aumentar seu grau de exposição e vendas.

Por outro lado, muitas pessoas estão descobrindo essa opção de negócio online, e buscando informações sobre como começar um negócio  com programas de afiliados, por ser um projeto relativamente simples de ser implementado e de baixo custo.

O grande problema é que muitas das informações que circulam na Internet são fantasiosas e não deixam claro o que realmente está por trás deste modelo de negócio.

Por isso, para esclarecer quais são os caminhos para montar um negócio com programas de afiliados e deixar claro o que isso envolve, elaboramos um roteiro rápido sobre o que é preciso para ter sucesso neste tipo de negócio.

  Leia o artigo O Que É Programa de Afiliados

Escolha um nicho de mercado

A primeira dica para quem deseja saber como começar um negócio com programas de afiliados é escolher um bom nicho de mercado. Busque criar um negócio que esteja relacionado com o que você já conhece, gosta e domina.

Por exemplo, se você gosta de moda, criar um blog, portal de notícias ou loja virtual nessa área, faz muito mais sentido do que tentar vender produtos relacionados a vídeo games e outros segmentos de alta tecnologia.

Crie um site, blog ou loja virtual de qualidade profissional

Outro segredo para ganhar dinheiro com programas de afiliados está na aparência do site em si. Repare que quando falamos sobre programas de afiliados, estamos falando em vendas, e ninguém compra nada em sites que não transmitam confiabilidade.

Por isso, é fundamental que você tenha um site de altíssima qualidade, o que pode ser feito facilmente utilizando o WordPress associado a um layout profissional que você pode comprar em sites especializados como o Theme Forest, por exemplo.

Transforme-se em uma referência no seu nicho

O segundo passo para saber como começar um negócio com programas de afiliados é se transformar em uma referência sobre esse segmento na Internet. Para conseguir ganhar dinheiro com programas de afiliados você irá precisar se destacar e não apenas ser apenas mais um bloguinho por aí.

Como conseguir isso? Simples, gere conteúdo de qualidade para o seu site e aplique técnicas de otimização de sites para ferramentas de busca neste conteúdo. Dessa forma, você começará a se destacar nas ferramentas de busca e gerar tráfego qualificado para o seu site, um dos grandes segredos para o sucesso em programas de afiliados.

Escolha os seus programas de afiliados

Outra etapa fundamental para quem está em busca de  como montar um negócio com programas de afiliados é a escolha dos seus parceiros, os programas de afiliados em si. Existem diversas opções no mercado brasileiro e internacional, mas isso não significa que todas elas sejam boas para montar o seu negócio.

Focado no nicho escolhido para o seu negócio, escolha os programas de afiliados que mais se adaptem aos seus objetivos e que reúnam as características técnicas ideais, tanto do ponto de vista de portfólio de clientes quanto do ponto de vista operacional, como janela de comissões e outros fatores.

Cadastre-se nos programas de afiliados escolhidos

Uma vez escolhidos os programas de marketing de afiliados que mais se encaixam na sua proposta, faça o cadastramento em todos eles. Tenha um pouco de paciência, pois alguns deles demoram até duas semanas para responder.

Não se esqueça de somente partir para esta etapa, quando tudo, absolutamente tudo em seu site, layout, conteúdo, contatos e etc…, estiver perfeito. Os programas de afiliados estão muito exigentes nos últimos tempos, e somente aprovam sites de altíssima qualidade.

Implementação dos anúncios

Quem está querendo começar um negócio com programas de afiliados deve ter em mente que o posicionamento dos seus anúncios é fator fundamental para o sucesso neste tipo de negócio. Vendas por programas de afiliados se dão na área do marketing de display, portanto muita técnica precisa ser aplicada neste momento.

Seja na área de conteúdo através de links para seus afiliados ou na lateral de um blog, por exemplo, o posicionamento dos anúncios deve obedecer às boas práticas de Webwriting e usabilidade, não rompendo o fluxo de leitura e consumo de conteúdo.

Não transforme o seu site em um mural de anúncios. Não é a quantidade de anúncios que vende, é a técnica utilizada em seu posicionamento e divulgação, que fazem você ganhar dinheiro com marketing de afiliados. Esse é um dos principais erros em programas de afiliados.

Divulgue seu site, blog ou loja virtual com afiliados

Outra dica para quem deseja ter sucesso em um negócio com programas de afiliados é prestar uma especial atenção ao marketing do seu negócio. Um dos grandes segredos deste negócio está justamente na sua capacidade de geração de tráfego para o site, portanto, o marketing digital será fundamental.

Além da aplicação de técnicas de SEO que nos referimos anteriormente, trabalhe também mídias sociais e e-mail marketing. Só não se esqueça que, principalmente no caso das mídias sociais, mais importante que anunciar seus produtos ou serviços, é criar laços de relacionamento. O marketing em mídias sociais é relacionamento antes de oferta.

Analise seus resultados

Agora que você já sabe como começar um negócio com programas de afiliados você entrará em um processo de refinamento, ou seja, como melhorar o seu negócio online. Com base em dados de acessos ao site e as conversões de cada um dos programas de afiliados com que você trabalha,  poderá melhorar o seu desempenho.

A melhor ferramenta para isso é o Google Analytics, um sistema de monitoramento de tráfego gratuito do Google, com o qual você poderá identificar as áreas e páginas de maior interesse do público e conversão. É aí que você irá descobrir quem realmente está gerando receita para o seu negócio.

Agora que você já tem uma ideia inicial sobre como começar um negócio com programas de afiliados, é uma questão de analisar e avaliar mais essa opção de negócio online.

Por Alberto Valle no Blog da Academia do Marketing

Como começar um negócio com programas de afiliados
5 (100%) 1 voto

Assessoria de imprensa online

0

Assessoria de imprensa online – Tendências e Desafios

Em um mundo conectado, a assessoria de imprensa online ganha cada vez mais espaço no cenário da comunicação. Negar esse fato é simplesmente ignorar os avanços tecnológicos dos últimos anos.

Imagine um mundo onde as notícias chegam através de um clipping físico, às duas horas da tarde. Não teria a mínima graça, não concorda? Pois é, falar em comunicação em tempos de Internet e ignorar a assessoria de imprensa online é pensar assim.

O processo de adaptação às novas mídias pode ser fácil, mas alguns profissionais ainda resistem à essa transição. É o tipo de reação que podemos definir muito claramente em uma expressão bem brasileira: Remar contra a maré.

Pior ainda, alguns profissionais acreditam que a transição da assessoria de imprensa convencional para a assessoria de imprensa na Internet é apenas uma questão de “mudar de teclado”. Ledo engano.

O mundo online tem um formato próprio, uma dinâmica própria, e por isso, o profissional de assessoria de imprensa, comunicação social ou jornalismo, precisa se adaptar a esse formato e compreender suas regras, técnicas e dinâmica.

Um novo ambiente e novas exigências

Recentemente, o site Empreendedores Web, especializado em suporte a pequenos e médios empreendedores, publicou um artigo sobre como escolher uma agência de assessoria imprensa na Internet onde fica claro a exigência técnica sobre os profissionais de relações públicas nos dias de hoje. É um retrato da sofisticação do mercado atualmente.

O mundo mudou, o processo de comunicação mudou e isso força os profissionais de comunicação a se adaptarem a essas mudanças, sob o risco de ficarem desatualizados e serem substituídos por aqueles que assimilaram estas mudanças.

O modelo de “notinhas” e distribuição maciça de press releases, largamente utilizado na assessoria de imprensa convencional, não tem lugar na assessoria de imprensa na Internet. A mídia online exige um conhecimento técnico de seus canais e tecnologias envolvidas.

Os desafios da assessoria de imprensa online

Esse novo ambiente de comunicação traz novos desafios para os profissionais envolvidos e é necessário conhecer estas novas demandas que a assessoria de imprensa online coloca para estes profissionais, como também quais os caminhos a seguir.

Um exemplo dessas novas demandas está no trabalho de elaboração e distribuição de press releases, que no mundo online obedece a regras completamente diferentes do que encontramos na assessoria de imprensa convencional.

Em termos de conteúdo, por exemplo, no ambiente digital, é necessário que elaboremos um press release seguindo as boas práticas do Webwriting para que ele seja efetivamente lido pelos visitantes de um site, caso contrário, será mais um texto perdido em um turbilhão de informações.

Também na elaboração deste texto, a aplicação de técnicas de SEO em press releases garante uma exposição maior do conteúdo, já que além do público natural dos canais onde ele é publicado, podemos atrair também o público que realiza buscas no Google, por exemplo.

Até mesmo a distribuição de press releases segue uma lógica diferente. Para se conseguir maior exposição em todos os canais, é preciso administrar tecnicamente a lista própria de contatos, priorizando aqueles com maior relevância, e os sites de distribuição de press releases.

Assessoria de imprensa online

Os profissionais de assessoria de imprensa online precisam entender a dinâmica desse novo cenário

Compreendendo a dinâmica da mídia digital

Uma outra mudança que os profissionais de assessoria de imprensa precisam encarar é o relacionamento neste novo ambiente, que ao contrário do que muitos ainda acreditam, é completamente diferente do padrão encontrado no mundo físico.

A assessoria de imprensa online é uma via de mão dupla, onde os profissionais têm interesses mútuos e ambas as partes precisam ser beneficiadas pelo processo. O assessor de imprensa consegue exposição para seus clientes, e os veículos agregam valor a seu site.

O problema é que alguns profissionais de assessoria corporativa ainda não entenderam o que venha a ser “agregar valor”. A notícia em si, perdeu muito de seu valor, já que a competição por exposição é muito grande nos dias de hoje. Se ela não for acompanhada de um formato que seja o ideal, não vale quase nada.

Portais de conteúdo e blogs especializados conhecem sua força e por isso para conseguir acesso a eles é preciso apresentar conteúdo de qualidade. Enviar uma “notinha” para que estes portais e blogs desenvolvam o conteúdo, não funciona mais.

A assessoria de imprensa online é um ambiente novo, com técnicas, rotinas e regras próprias que precisam ser incorporadas pelos profissionais do setor, sob o risco de perderem espaço no mercado de trabalho.

As faculdades despejam no mercado anualmente milhares de jovens formados nas áreas de relações públicas, comunicação e jornalismo que já trazem essas tecnologias em seu DNA. Se você não se atualizar, certamente será substituído pela Geração Y em muito menos tempo do que imagina.

Por Alberto Valle no SEO Para Jornalistas

Assessoria de imprensa online
5 (100%) 1 voto

Qual o melhor sistema de loja virtual

0
Qual o melhor sistema de loja virtual – O que considerar nesta escolha?

Qual o melhor sistema de loja virtual – O que considerar nesta escolha?

Você sabe qual o melhor sistema de loja virtual? Como escolher a melhor plataforma de e-commerce para sua loja virtual? Essa é uma questão que atormenta 11 em cada 10 empreendedores que estão pesquisando sobre a criação de uma operação de comércio eletrônico.

Muito embora a uma primeira vista a pergunta seja relativamente simples, não há como ter uma resposta padronizada, pois na verdade, isso depende de uma série de variáveis que discutiremos neste artigo.

Quando me perguntam qual o melhor sistema de loja virtual minha resposta é sempre: A resposta está no sumário do seu projeto de e-commerce.

De maneira geral, a resposta para o questionamento sobre qual o melhor sistema de e-commerce é muito simples e lógica.

A melhor plataforma é aquela que além de responder às suas necessidades de curto e médio prazo, não estoura o seu orçamento para o projeto.

Qual o melhor sistema de loja virtual – O que considerar nesta escolha?É evidente que existe uma série de questões técnicas envolvidas, mas a questão principal é alinhar as necessidades a essas questões técnicas.

É moldar a escolha da plataforma de e-commerce ao momento do negócio e maturidade técnica da sua equipe de colaboradores.

De maneira geral, como definimos em nosso curso de e-commerce, podemos colocar a questão da escolha de um sistema para montar o seu e-commerce girando em torno de cinco questões básicas:

  • Adequação do sistema de loja virtual ao momento do seu negócio
  • Escalabilidade para acompanhar o desenvolvimento do seu e-commerce
  • Recursos para técnicos para marketing digital
  • Suporte oferecido pelo fornecedor
  • Relação custo benefício em relação a outras opções do mercado

Vamos analisar então cada uma delas para termos uma noção mais detalhada sobre o que deve ser observado em cada item.

Qual o grau de maturidade do seu negócio

Toda vez que me perguntam qual o melhor sistema de loja virtual e respondo com uma outra pergunta: Qual é o momento do seu negócio? A determinação da plataforma de e-commerce depende do grau de amadurecimento do seu negócio.

Se você está iniciando um negócio, talvez uma plataforma de e-commerce mais simples de operar seja a melhor solução, pois você estará construindo uma curva de aprendizado e se logo de início, você partir para uma solução muito complexa, esse processo de aprendizado pode se tornar mais demorado.

A plataforma de e-commerce acompanhará sua evolução?

Outro item a considerar na hora de decidir sobre qual é o melhor sistema de e-commerce para o seu projeto, é a escalabilidade, ou seja, a capacidade da plataforma de e-commerce acompanhar o amadurecimento e crescimento do seu negócio.

A troca de plataforma é sempre um transtorno para qualquer loja, pois traz problemas como um novo processo de aprendizado operacional, possibilidade de perda de posições no Google e adaptação da operação. Por isso, o sistema precisa acompanhar a evolução do seu negócio.

Para entender melhor essa questão, acesse o artigo O transtorno ao trocar a plataforma de e-commerce em meu site pessoal.

A plataforma oferece recursos de marketing?

A questão marketing é fundamental na hora de determinar qual o melhor sistema de loja virtual para você. Afinal, o marketing digital é o grande pulo do gato nos dias de hoje, por isso essa é uma questão fundamental na hora de escolher uma plataforma de e-commerce.

Muitas das ferramentas de marketing, como Google Analytics, SEO, Google AdWords, Facebook Ads e outras, precisam de recursos técnicos especiais para serem implementadas, por isso é fundamental que a plataforma de e-commerce atenda a esses requisitos.

Leia o artigo Como Divulgar Uma Loja Virtual

Qual o suporte oferecido?

O suporte oferecido pelos fornecedores de sistemas de e-commerce é fundamental para um bom andamento do negócio. Infelizmente, esse não é um ponto fácil, pois muitos fornecedores parecem mais interessados em conquistar novos clientes, do que em manter os que já conquistaram.

Pesquise junto aos clientes do fornecedor, qual seu grau de satisfação com o suporte dado à loja. Esse é o melhor indicador sobre o atendimento efetivo oferecido e não somente o que é anunciado no site do fornecedor.

Relação custo benefício

A questão final para determinar qual o melhor sistema de loja virtual é a relação custo/benefício oferecida pela plataforma. De nada adianta investir em uma super plataforma se a sua operação não a utilizará em sua plenitude.

É necessário avaliar a questão do custo, sempre tendo em mente, uma relação que sempre chamamos atenção em nosso curso sobre criação de lojas virtuais, de 30% para a plataforma e 70% para o marketing.

Além disso, esteja certa de que, no momento atual do mercado, existe muita margem de negociação em termos de preço, portanto, pechinche muito antes de fechar o negócio.

A plataforma de e-commerce é peça fundamental para seu negócio, por isso, na hora de determinar qual o melhor sistema de e-commerce para o seu negócio, pesquise muito e busque o máximo de informações.

Por Alberto Valle no portal Mulheres Empreendedoras

Qual o melhor sistema de loja virtual
5 (100%) 1 voto

Como montar uma loja virtual com WordPress

0
Como montar uma loja virtual com WordPress

Veja como montar uma loja virtual com WordPress

Quer saber como montar uma loja virtual com WordPress, a mesma plataforma que você usa para montar o seu blog? Nem sabia que isso era possível? Então você não pode perder essa matéria.

Há algum tempo publicamos aqui no blog o artigo Como Ganhar Dinheiro Com Um Blog de Moda onde citávamos a plataforma WordPress como a melhor opção. Na matéria também falávamos sobre a criação de uma loja virtual com essa plataforma.

Como muitas leitoras pediram maiores detalhes, incluímos esta matéria para ajudar você a criar uma loja virtual, usando o mesmo sistema que a maioria das blogueiras usa para criação e gerenciamento de seus blogs, o WordPress.

Apesar da crise pela qual passa o país, segundo projeções da consultoria e-Bit em seu relatório Webshoppers, é esperado um faturamento de R$ 35 bilhões para 2015. De acordo com o relatório, só no primeiro semestre de 2015, o incremento nas vendas foi da ordem de 13%, com um faturamento de R$ 18,6 bilhões. Temos então uma ótima opção de negócio a ser explorada.

Há tempos atrás se alguém me perguntasse isso eu diria que não havia como, mas atualmente é uma pergunta não só coerente como também altamente viável para quem deseja montar uma loja virtual sem gastar muito dinheiro no início.

Para saber como montar uma loja virtual com WordPress, em primeiro lugar você precisa dimensionar o seu projeto de e-commerce para saber se a plataforma de e-commerce do WordPress suporta as suas necessidades.

Embora uma loja virtual com WordPress seja uma solução em e-commerce bem avançada atualmente, existem restrições técnicas para algumas funções muito especiais.

Economia é um atrativo para montar uma loja com o WordPress

Discussões sobre custos operacionais a parte, a verdade é que em função do mercado aquecido e demanda muito superior a capacidade de atendimento, até mesmos as lojas virtuais alugadas, no modelo SAAS estão com preços bem salgados, principalmente para quem possui pouco capital. Esse movimento acaba viabilizando opções como montar uma loja virtual com o WordPress por exemplo.

O sistema é gratuito e a grande maioria dos plugins também é. As templates, layouts para a loja virtual, podem ser compradas em sites especializados como o Theme Forest a um preço bem acessível.

O WordPress em si já é bastante fácil de trabalhar, reunindo todas as funções necessárias para gestão de um site em uma única plataforma e sem necessidade de conhecer nada de programação. Quando essa facilidade de trabalho se alia a uma solução de e-commerce que facilita a administração de uma loja virtual, o resultado é uma loja de baixo custo, fácil operação e ótimos recursos.

Em nosso curso de e-commerce sempre fazemos questão de frisar que a melhor plataforma de e-commerce é aquela que se adapta ao seu orçamento e a solução usando o WordPress é um desses casos.

Os plugins do WordPress para e-commerce

Loja Virtual Com WordPressOs responsáveis pela transformação do WordPress em uma loja virtual são os plugins, acessórios que são facilmente incorporados à plataforma WordPress acrescentando novas funções ao sistema.

Os plugins de e-commerce para WordPress mais conhecidos são o WooCommerce, Jigoshop e o WP E-commerce, ambos gratuitos e com possibilidade de instalação em qualquer plataforma WordPress hospedada em domínio próprio. Como em qualquer solução open source para e-commerce, é necessário conhecimentos básicos do funcionamento do WordPress para poder configurar os plugins e suas funções.

Confesso que quando montei minha loja virtual com WordPress para efeitos de estudos, fiquei impressionado com a quantidade de recursos que eu podia implementar nela. Fui aprendendo as configurações de cada plugin disponível e explorando seu potencial. Hoje em dia utilizo essa plataforma de forma profissional para projetos de menor porte, sem dever nada para outras soluções de plataformas de e-commerce disponíveis no mercado.

Funcionalidades de uma loja virtual feita com WordPress

No início, quando foram dados os primeiros passos em direção a criação de lojas virtuais com WordPress, uma das principais críticas a essa solução era a carência do sistema em relação a funcionalidades comuns no e-commerce. Naquela época montar uma loja virtual com WordPress era barato mas não era tecnicamente viável. A coisa mudou muito de lá para cá.

Graça a evolução dos próprios sistemas que permitem criar lojas virtuais usando o WordPress, e a uma centena de plugins que foram lançados nessa área, podemos montar um sistema de e-commerce completo e tecnicamente perfeito para um comércio eletrônico profissional, usando o WordPress.

Veja algumas funções de e-commerce disponíveis para uma loja virtual com WordPress:

  • Uma loja virtual com WordPress pode ser facilmente integrada com os principais facilitadores e gateways de pagamento do país como o PayPal, PagSeguro, Bcash e MOIP;
  • Configurações de frete para Correios podem ser facilmente feitas através da instalação de um plugin;
  • Recursos de zoom na imagem de produtos e outros recursos especiais na página de detalhes de produtos já estão disponíveis nas principais templates profissionais;
  • Ferramentas de Cross Selling e Ups Selling, além de outros sofisticados recursos de conversão já estão disponíveis tanto nas templates como também podem ser incorporados à plataforma de e-commerce em WordPress através de plugins específicos;
  • Todos os recursos de gerenciamento de vendas, estoques e pagamentos já estão incorporados a plataforma, tornando o sistema todo administrável a partir de um único painel.
  • Recursos de SEO para e-commerce como os encontrados, e as vezes até melhores do que os encontrados em outras plataformas open source ou alugadas disponíveis no mercado.
  • Rotinas dedicadas ao marketing digital e monitoramento de conversões através do Google Analytics também já se encontram incorporadas aos diversos plugins de e-commerce para WordPress.

Loja virtual com WordPress não é loja grátis

Ter uma loja virtual feita com WordPress é muito mais barato do que adotar outras soluções de e-commerce disponíveis pelo mercado, mas isso não que dizer que ela seja gratuita. Para criar uma loja virtual com WordPress de boa qualidade, alguns itens como templates profissionais, layouts prontos para a loja virtual tem um custo.

No caso das templates, algo em torno de U$ 60 na maioria dos casos. O Theme Forest é um dos sites mais completos em termos de templates para lojas virtuais em WordPress.

Existe também a questão da instalação do sistema. Se você conhece o funcionamento do WordPress não terá nenhum custo de instalação e configuração do sistema, mas se você simplesmente não conhece nada sobre a plataforma, vai precisar contratar alguém para instalar a loja e depois lhe ensinar a trabalhar nela.

Além disso, alguns plugins também são pagos, girando em torno de U$ 100 cada um, mas é perfeitamente viável montar uma loja com os plugins gratuitos.

Como você pode ver, o que era uma utopia há tempo atrás agora já é possível. Se você queria saber como montar uma loja virtual com WordPress esperamos ter lhe dado uma ajuda com essa matéria.

Por Josiane Osório no portal Mulheres Empreendedoras

Como montar uma loja virtual com WordPress
5 (100%) 1 voto

Como montar um brechó online

0
Como montar um brechó online

Como montar um brechó online e faturar em um mercado em expansão

O nosso tutorial de hoje é sobre como montar um brechó online, uma opção de negócio na Internet que vem atraindo muitas empreendedoras do mundo digital e que já se tornou uma tendência por aqui.

Ao contrário do que muitas empreendedoras pensam, abrir um brechó online é muito mais fácil do que se imagina e o investimento não é tão alto assim.

Se você deseja montar seu negócio próprio na Internet e está em dúvida sobre em que área atuar, essa é certamente uma boa ideia, já que inclusive, como dissemos em um artigo anterior, esse é um dos negócios que resistem à crise.

Nesse tutorial, vamos explicar o passo a passo de como montar um brechó online e faturar alto em um segmento que vem crescendo muito nos últimos anos, e que, em função da crise pela qual atravessa o país, promete um crescimento ainda maior nos próximos.

Criando a estrutura do seu brechó online

O primeiro passo para quem deseja abrir um brechó online é criar a sua estrutura de funcionamento na web, o site em si e suas funcionalidades para vender online. Essa é uma etapa que precisa ser bem analisada para você não entrar em uma fria.

Basicamente, um brechó online é uma loja virtual de produtos usados, e portanto, o primeiro passo é determinar que sistema de e-commerce você irá usar. Assustou? Não há motivo para isso. Atualmente existem soluções bem simples, baratas e eficientes para isso.

Criando seu brechó online a partir de um blog

Se você já tem um blog e utiliza a plataforma do WordPress, uma ótima notícia. Você pode montar o seu brechó online, com todos os recursos, como vitrine, página de detalhes e recebimento online através de boletos e cartões de crédito utilizando o seu site já existente.

Essa é a solução mais barata de todas, mas você vai precisar conhecer muito bem o funcionamento do WordPress para implementar essa solução. A mágica acontece utilizando-se alguns plugins de e-commerce que transformam o WordPress em uma loja virtual.

  Veja mais detalhes no artigo Como Montar Uma Loja Virtual Com o WordPress

A grande vantagem dessa opção é que você terá uma solução própria para o seu brechó na Internet e ganhará uma independência maior. Você encontrará ótimos layouts prontos para criação do seu brechó online na Theme Forest.

Criando seu brechó online com uma plataforma de e-commerce

Como montar um brechó onlineUma outra solução para quem quer saber como montar um brechó online sem gastar muito é usar uma plataforma de e-commerce, sistema para criação de lojas virtuais, alugada. Nesse caso, você irá contratar o direito de uso de um sistema de e-commerce já pronto, que irá funcionar como seu brechó online.

Esses sistemas alugados já vêm com todas as funcionalidades que você precisará para montar seu brechó online e têm um custo muito baixo, a partir de R$ 80 ao mês. Felizmente, existem diversos fornecedores de plataformas de e-commerce e basta que você pesquise qual a que mais se adequa ao seu projeto.

Formação do estoque inicial

Outra dica importante para as empreendedoras que desejam saber como montar um brechó online diz respeito à formação do estoque inicial. O problema maior para quem vai iniciar o negócio, é a questão da formação do estoque inicial.

Segundo o site Empreendedores Web, existem basicamente dois modelos de negócio para quem vai montar um brechó. O primeiro é trabalhar com peças em consignação e o segundo é o da aquisição das peças a serem vendidas.

Para quem está iniciando, e não conhece ainda muito bem as preferências das clientes, a melhor opção é trabalhar no sistema de consignação, onde você recebe a mercadoria, vende e fica com um percentual para você como forma de remuneração pelo seu trabalho.

Esse modelo traz ainda uma outra grande vantagem que é não exigir um capital muito grande para a montagem do estoque inicial. Em tempos de juros altos, não é nada recomendável que a empreendedora de um brechó online fique empatando muito capital, e acabe tendo que recorrer a empréstimos bancários.

A outra maneira de formar o estoque inicial do seu brechó online, esta, bem mais cara, é comprar os itens que serão vendidos. Isso só vale a pena se você tiver certeza absoluta que conseguirá vender rápido e com uma boa margem de lucro, caso contrário, não vale a pena.

Uma outra situação onde a compra dos produtos passa a ser viável, é quando você encontra estoques de lojas que estão sendo fechadas. Nestes casos, você pode encontrar verdadeiras pechinchas, porque a pessoa pode estar precisando fazer dinheiro rápido. São coisas da crise.

Modelo de negócio

Outra dica importante para quem deseja saber como montar um brechó online é determinar desde cedo qual o tipo de modelo de negócio você irá adotar, para poder posteriormente, criar as regras de negócios do seu brechó.

Você pode criar um brechó que trabalhe exclusivamente com peças suas ou captadas por você, em um sistema fechado. Nesse caso, como todas as peças pertencem ou estão em consignação com você, o controle é absoluto e o lucro é só seu.

Outra opção é trabalhar apenas com peças de outras pessoas que usarão o seu espaço na Internet para expor e vender suas mercadorias, num formato comercial que chamamos de Market Place. Nesse caso, você na verdade trabalhará como uma intermediadora de negócios, ficando com uma comissão sobre as peças que forem vendidas.

A terceira opção é trabalhar com um sistema híbrido onde você venderá peças suas e também poderá oferecer espaço para outras pessoas venderem através do seu site. Devido a complexidade operacional desse modelo, aconselho que você só o adote em uma fase posterior, quando você tiver mais experiência com o e-commerce.

Divulgação do brechó online

Nossa dica final para quem está interessada em como montar um brechó online diz respeito à divulgação do negócio. No mundo dos negócios online, mais ainda que no mundo físico, a divulgação é a alma do negócio, e por isso, você precisa pensar nessa etapa do negócio também.

Em termos de estruturação do negócio e alocação de recursos, em nosso curso sobre lojas virtuais, recomendamos sempre que você divida seus recursos na proporção de 30% para a plataforma de e-commerce e 70% para o marketing online.

A forma mais econômica para divulgar sua loja virtual é através das redes sociais, como Facebook, Instagram e Twitter. Note que estou falando em forma econômica e não gratuita, pois, por exemplo, no caso do Facebook, você terá que investir no impulsionamento de suas publicações e até mesmo em Facebook Ads, para conseguir um alcance realmente grande das suas publicações.

Outra forma bastante eficiente e econômica é a divulgação através de blogs de moda, com os quais você pode firmar parcerias e as duas ganharem juntas. Se você já tiver um blog, melhor ainda. O segredo do negócio não é apenas saber como montar um brechó online, mas também como promovê-lo.

Agora que você já tem as principais dicas sobre como montar um brechó online, é apenas uma questão de fazer o seu planejamento e botar a mão na massa.

Por Josiane Osório

Como montar um brechó online
5 (100%) 1 voto

ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Passo a passo de um projeto de e-commerce

O passo a passo de um projeto de e-commerce

O passo a passo de um projeto de e-commerce consistente Quando vão construir seu negócio virtual, muitas pessoas contratam uma empresa especializada em desenvolvimento de loja virtual....
10 dicas para montar um e-commerce

10 dicas para montar um e-commerce

Gestão de campanhas no Google Adwords

Gestão de campanhas Adwords