Home Blog Page 3

Como montar uma loja virtual

0
Como montar uma loja virtual

Como montar uma loja virtual – Conheça o passo a passo para a criação de um e-commerce

Como montar uma loja virtual

Se você quer saber como montar uma loja virtual, nossa equipe trás neste artigo os principais pontos a serem observados por que deseja criar uma loja virtual de sucesso.

Para um leigo, esse pode parecer um desafio impossível de ser vencido, mas você verá que não é tão difícil assim. Só depende de método.

Com o crescimento do comércio eletrônico no Brasil nos últimos anos, é natural que cada vez mais empreendedores busquem saber como montar uma loja virtual. Segundo a consultoria e-Bit em seu 31° Relatório WebShoppers – 2015 sobre o desempenho do comércio eletrônico no ano passado, o segmento alcançou um faturamento de R$ 35,8 bilhões.

Principais pontos a serem observados na abertura de uma loja virtual

O processo de abertura de um e-commerce envolve diversas etapas. Seria leviano dizer que é um processo que pode ser feito de uma hora para outra, um erro muito comum entre os novos empreendedores do varejo online.

  • Planejamento do negócio
  • Escolha da plataforma de e-commerce
  • Determinação das formas de pagamento
  • Escolha dos sistemas de segurança
  • Marketing digital
  • Logística

Para quem está interessando em como montar uma loja virtual de sucesso, fizemos neste artigo, um apanhado dos principais pontos a serem observados. Confira.

Planejamento

A etapa mais importante de um projeto de e-commerce é justamente o planejamento. Não há como montar uma loja virtual de sucesso sem que se faça um investimento sério no planejamento de toda a operação.

Em nosso curso sobre criação de lojas virtuais dedicamos um extenso módulo a essa parte do projeto por entendermos que em um ambiente competitivo como o que temos atualmente

Dê preferência aos nichos de mercado, pois neles você encontrará uma competição bem menor e portanto terá maiores chances de sucesso. Outro ponto importante é focar no público e não no produto. Procure saber e detalhe em seu plano de negócio para e-commerce quais são as necessidades do seu público-alvo, para só depois decidir sobre seu mix de produtos.

  Leia o artigo A Importância do Planejamento no E-commerce

Escolha da plataforma de e-commerce

O primeiro desafio para quem deseja saber como montar um e-commerce é descobrir como escolher uma plataforma de e-commerce, pois ela é o sistema central de qualquer loja virtual. Felizmente contamos atualmente com diversas opções de sistemas para criação e gerenciamento de lojas virtuais no Brasil. O importante é identificar aquele que atenda às suas necessidades.

A escolha de um sistema de e-commerce não pode ter como foco apenas as suas necessidades iniciais, mas também, as necessidades que surgiram em decorrência do crescimento do negócio. É importante analisar detalhadamente as diversas opções disponíveis no mercado, pois a troca de plataforma de e-commerce é sempre um transtorno.

Basicamente existem três grandes grupos de plataformas de e-commerce:

  1. Plataformas Open Source – São sistema de e-commerce desenvolvidos por comunidades de programadores que disponibilizam o código gratuitamente para download. São também conhecidas como plataformas open source.
  2. Plataformas SaaS – São plataforma desenvolvidas por empresas especializadas que oferecem estes sistemas para uso mediante ao pagamento de uma mensalidade ou qualquer outro tipo de taxa, como participação sobre as vendas. São conhecidas colo lojas virtuais alugadas.
  3. Plataformas Exclusivas – São sistemas de e-commerce criados exclusivamente para uma determinada empresa visando satisfazer necessidades específicas. Devido ao seu alto custo, é uma modalidade que vem aos poucos desaparecendo.

A escolha da plataforma deve levar em consideração o momento do negócio, o orçamento disponível e também o que você está planejando para o seu e-commerce no futuro. Você encontrará em nosso site uma lista completa de fornecedores de sistemas para lojas virtuais.

  Leia o artigo Como Escolher uma Plataforma de E-commerce

Formas de pagamento para sua loja virtual

Outro ponto que quem deseja saber como montar uma loja virtual deve prestar muita atenção é na determinação das formas de pagamento que a loja irá oferecer. Basicamente existem três opções para sua loja:

  1. Intermediadores de pagamento
  2. Gateways de pagamento
  3. Integração direta com as operadoras

Para quem está iniciando, a melhor opção são os intermediadores de pagamento. São empresas que terceirizam todo o processo de pagamento, como o Pagseguro, Bcash e PayPal. Além de oferecerem diversas formas de pagamentos, como cartões, boleto e débito em conta, também fazem a análise antifraude, reduzindo sensivelmente a possibilidade de chargeback.

Os gateways de pagamento fazem a integração da loja com as administradoras e são mais indicados para lojas com um volume de vendas maior. Finalmente temos a opção de integração direta com as operadoras, como Cielo e Rede uma etapa mais avançada.

  Leia o artigo Qual a Melhor Forma de Pagamento Para Uma Loja Virtual

Sistemas de segurança para o e-commerce

Outro ponto envolvendo a questão das formas de pagamento e até mesmo a integridade da sua loja virtual é o que diz respeito à segurança no e-commerce. Se você optar por usar como formas de pagamento os gateways ou operar diretamente com as operadoras de cartão de crédito, precisará de um sistema antifraude, para evitar problemas como cartões roubados, clonados e outras tantas formas de fraudes no e-commerce.

A questão da segurança em lojas virtuais vai bem mais longe do que apenas as formas de pagamento e por isso, na hora de saber como montar uma loja virtual, para por ai. A segurança de uma loja envolve também a conquista da confiança do usuário, o que afeta diretamente a taxa de conversão da loja.

  Leia o artigo A Importância da Segurança no E-commerce

O marketing para uma loja virtual

Se você está interessado em saber como montar uma loja virtual, é bom estar preparado para se informar também sobre como divulgá-la, já que nos dias de hoje essa é uma etapa tão, ou mais importante do que a criação da loja em si. Em um mercado cada vez mais competitivo, conseguir se destacar entre os milhares de lojas virtuais existentes, é um desafio cada vez maior.

É importante em primeiro lugar criar um plano de marketing digital para o projeto, para que possamos ter uma ideias de todas as ações que serão necessárias para divulgar a loja e calcular os custos disso. Não se iluda com a falsa impressão de que o marketing na Internet é grátis, custa “baratinho” ou pode ser feito, de maneira profissional por aquele seu sobrinho que “mexe com internet”.

A melhor forma de se preparar para enfrentar este desafio é fazer um curso de marketing digital, para saber exatamente o que existe no mercado, o que você poderá fazer internamente e o que você poderá terceirizar. Até mesmo para contratar serviços de terceiros, você precisa saber exatamente o que está contratando e ter subsídios para cobrar resultados.

  Leia o artigo Estratégias de Marketing Digital Para E-commerce

A logística no e-commerce

Por fim vamos falar da questão da logística no e-commerce. O curioso é que muitos empreendedores acreditam que a logística de uma loja virtual seja apenas uma questão de entregar a mercadoria vendida, um engano que pode custar caro.

O calcanhar de Aquiles de qualquer loja virtual é a logística, principal fonte de reclamações de clientes, basta conferir no Reclame Aqui. Por isso, você precisa definir muito bem que tipo de estratégia de entrega irá adotar e começar a moldar sua estrutura. O uso do serviço dos Correios e transportadoras é a solução mais comum.

Se for optar por uma transportadora, é aconselhável que feche contrato com uma empresa que já tenha tradição no segmento, para evitar surpresas em uma área tão sensível

  Leia o artigo Logística no E-commerce

Agora que você já tem o passo a passo sobre como montar uma loja virtual, convidamos a navegar por nosso site e descobrir mais sobre cada um dos itens abordados.

Por Alberto Valle no portal Guia de E-commerce

Avalie este artigo

Loja virtual pronta

0
Loja virtual pronta ou Crie Você Mesmo – Não é bem assim

Loja virtual pronta ou Crie Você Mesmo – Não é bem assim

Loja virtual pronta ou Crie Você Mesmo – Não é bem assimMuitas vezes, ao buscarmos por uma loja virtual pronta, analisando a lista de recursos de um provedor de hospedagem você se depara com aquela oferta irrecusável, “Crie você mesmo a sua loja virtual de graça”.

Bastante tentador não é, o que essa chamada se esquece de alertar é que caso você não tenha conhecimentos de programação essa tarefa é simplesmente impossível.

Fora isso, existe o fato de que um sistema de e-commerce necessita de muitas outras coisas além do software para transformar o empreendimento em um sucesso de vendas. Para montar uma loja virtual é necessário bem mais que um software, mas vamos lá.

Sistemas de e-commerce disponíveis

A maioria dos provedores disponibiliza alguns sistemas open source em suas plataformas Linux. São sistemas que ficaram conhecidos como lojas virtuais grátis. Os mais comuns são o Magento e PrestaShop, todos eles ótimos sistemas que permitem a criação de lojas virtuais.

Esses sistemas geralmente são instalados automaticamente através do painel de controle do usuário e em alguns casos permitem até um certo nível de personalização. O problema é que estes sistemas, principalmente o Magento, possuem inúmeras configurações extras que não são feitas por estes “instaladores automáticos”.

Para fazer estas configurações funcionarem, é preciso alguns conhecimentos de programação e é justamente ai que a coisa começa a dar problema.

Instalação de Acessórios na Loja Virtual

Esses sistemas de e-commerce possuem diversos plugins (acessórios) como, por exemplo, opção para pagamento através do PagSeguro UOL, que podem ser instalados a qualquer momento, dando muito mais flexibilidade à loja.

O grande problema é que todos eles necessitam de intervenções de pessoal tecnicamente capacitado para que passem a funcionar. Vejamos algumas situações:

  • Instalação no Provedor – Embora seja uma questão extremamente simples para um programador, instalar os arquivos no provedor de hospedagem e fazer com que eles funcionem, para um leigo pode parecer um bicho de sete cabeças. Será que você teria facilidade de usar um programa de FTP? E quanto as permissões de escrita, sabe como autorizar? Bem estes são apenas dois detalhes que podem complicar bastante a vida do usuário leigo.
  • Segurança do Sistema – Embora o provedor de hospedagem e os desenvolvedores dos sistemas garantam que a segurança é total, o fato é que instalações mal feitas sempre deixam expostas vulnerabilidades do sistema e isso é tudo que os hacker querem. Uma loja virtual mal instalada certamente se tornará preza fácil para os mal intencionados e tenho certeza que você não desejaria este tipo de problema.
  • Inclusão de Novas Funções – Qualquer módulo que você queira instalar em um sistema open source de loja virtual, necessita de algum tipo de alteração no programa, seja para fazê-lo funcionar corretamente ou fazer algum tipo de personalização como por exemplo no design e instalação de ferramentas como, por exemplo, o Google Analytics.

Layout e Design de uma loja virtual pronta

Embora algumas dessas plataformas de e-commerce oferecidas pelos provedores de hospedagem permitam algum nível de personalização de layout, cores e design, na grande maioria dos casos estas opções são bastante restritas.

Para fazer alterações no layout da loja, ou até mesmo a instalação de novas templates, como no caso da Magento, é necessário no mínimo conhecimentos da linguagem HTML e manipulação de arquivos CSS.

Atualizações dos Sistemas de lojas virtuais prontas

Sistemas de lojas virtuais estão em constante evolução e por isso, não raramente lançam atualizações. Pra instalar estas atualizações é sempre necessária a orientação de um técnico, caso contrário você pode acabar apagando ou inutilizando sua loja ou banco de dados.

Os provedores de hospedagem não dão este tipo de suporte simplesmente porque essa não é a proposta do serviço oferecido. O serviço de hospedagem se restringe unicamente a hospedagem e viabilização da publicação do seu site, ou seja, o acesso dos internautas às suas páginas.

O bom funcionamento de sistemas instalados, são de sua inteira responsabilidade e por isso não faz sentido algum oferecer suporte a esse tipo de coisa. Lendo atentamente o contrato você verá que não existe nenhum tipo de suporte técnico a estes sistemas.

Resumindo – A loja virtual pronta vale a pena?

Tentar fazer uma loja virtual partindo das plataformas open source oferecidas pelos provedores de hospedagem pode se bastante difícil caso você não tenha um bom conhecimento de programação e por isso, não é tão fácil quanto parece.

Qualquer sistema atualmente, mesmo os mais simples como o WordPress, necessitam de algum nível de programação para seu perfeito funcionamento e por isso, a assessoria de um técnico em programação é essencial.

Mais do que uma loja virtual pronta, você precisa de uma plataforma de e-commerce que satisfaça suas necessidades.

Avalie este artigo

Dicas de sucesso na implantação de um e-commerce

0
Algumas dicas de sucesso na implantação de um e-commerce
Dicas de sucesso na implantação de um e-commerce

Algumas dicas de sucesso na implantação de um e-commerce

Algumas dicas de sucesso na implantação de um e-commerce
Dicas de sucesso na implantação de um e-commerce

Com base em minha experiência prática na gestão de implantação e operação de e-commerce, destaco neste artigo alguns procedimentos e conteúdos para que uma empresa de varejo tenha uma construção e operação inicial com o mínimo de imprevistos e principalmente lucrativa.

Só para se ter uma ideia da importância da fase de pesquisa, planejamento e formatação para a implantação, uma das maiores fábricas de lingerie do País contratou a número um em prover soluções de e-commerce e desistiu um ano depois. Demandou mais um ano para concluir seu projeto de loja virtual.

Por isso, julgo importante checar as dicas que se seguem e, se não foram ou não estão sendo adotadas, o risco de insucesso é diretamente proporcional ao impacto de cada dica não providenciada, já dispostas em ordem de importância.

Plano de Negócios

Elaborar um plano de negócios para dar foco e funcionar como um negócio à parte. No requisito Concorrência fazer busca no Google pelas palavras-chave de cada produto. Na Gestão, o envolvimento direto do Presidente é fundamental, inclusive na escolha apurada do Gestor Executivo que tocará a implantação e acompanhará a operação até funcionar na conformidade planejada.

Relações com Franquiadas

Uma questão extremamente crítica e que merece um mini-plano de ações. A combinação lojas físicas+lojas virtuais pode maximizar as vendas da marca com procedimentos pré-combinados relativamente simples. O envolvimento com a rede começa por aí: vamos vender mais, juntos, de mãos dadas.

Relações Internas

Se não houver uma interatividade bem feita, começa o zum-zum-zum nas lojas próprias “vão fechar nossa loja?”, “vão reduzir as vendedoras?” etc. e todos sabemos que as notícias negativas se espalham rapidamente até alcançar aos ouvidos do mercado. E na infra-estrutura interna, quem vai ser envolvido, de que forma, em qual tempo e custo etc.

Gestão Financeira

Necessita de três “ferramentas” feitas com o máximo de precisão e envolvimento das áreas pertinentes:

  • Orçamento/Cronograma da Implantação (3 a 6 meses);
  • Orçamento E-commerce detalhado e previsão para 2 anos à frente; Análise VPL – Valor Presente Líquido de 3 anos do negócio, incluindo detalhamento da Estratégia de Saída
  • Liquidação do Negócio, se vier a ocorrer.

Fluxo de Atendimento dos Pedidos

Descrição detalhada e medição de tempos-movimentos para entrar no pedido na plataforma da loja e prosseguir até finalizá-lo. Isso dimensionará as necessidades de capital humano em cada fase, em cada local da empresa etc. Aqui está um dos fatores de sucesso da loja porque a credibilidade deve ultrapassar a média nacional do e-commerce de 85% de aceitação positiva para compras pela web. Nesse requisito, cabe uma participação especial dos setores de RH e Logística da empresa, visitando uma operação indicada pelo fornecedor da plataforma dentre seus clientes que seja referência na excelência operacional do seu capital humano e do seu centro de distribuição, seguindo cada etapa do fluxo.

Funcionalidades da Plataforma da Loja

Merece um estudo analítico e comparativo profundo do que o sistema oferece e como se compatibiliza com a infra-estrutura da empresa em geral. Áreas como TI, RH, Finanças, Comercial, Franquias, Contabilidade e até Produção precisam ser envolvidas. Incluir ou mudar depois vai consumir tempo e muito dinheiro e interromper a operação da loja. O fornecedor deve ser avaliado, referenciado e testado para uma operação 7 dias por 24 horas, assim como checar o seu ritmo de upgrades que irá manter a plataforma operacionalmente moderna e competitiva.

Comunicação Online

Compare esse trabalho como algo recente, super-especializado e extremamente estratégico para a loja virtual. Se possível ter um profissional capacitado que funcione como interface, melhor ainda. Emergências surgirão sempre. Imagine que o fornecedor desse serviços será a sua Força de Vendas no mercado, tal como as centenas de vendedoras da rede de lojas físicas + a comunicação publicitária e social da empresa. Detalhe: o controle da conversão terá que ter gestão quase militar, ou seja, lucro e prejuízo estarão “lutando” entre si o tempo todo. Aqui, a SEO – Search Engine Optimization fará uma enorme diferença para obter posições frontais na relevância dos portais de busca e de comparação de preços. Se for feita na mão, morre na praia. Tem que ser no modelo automático da plataforma + monitoramento manual. A interação da estrutura interna e externa da comunicação convencional com a de e-commerce merecerá um tratamento especial em uma área de talentos digamos um tanto rebeldes por natureza, de difícil compatibilização de pensamentos.

Relatórios Gerenciais

As plataformas operacionais de lojas virtuais mais modernas oferecem mais de 100 alternativas de relatórios gerenciais. O procedimento aqui é muito parecido com o do item 6 (Funcionalidades).

Política de Trocas

Compensa estudar a melhor forma porque em determinados segmentos como o de moda e principalmente calçados, por exemplo, o “bicho pega”. Pesquisar o histórico e o modelo das maiores & melhores do mercado no Brasil e no mundo são procedimentos aqui altamente recomendados. Evidentemente, a adequação ao Código de Defesa do Consumidor é indispensável.

Personalidade Própria

Finalizando, cada loja virtual tem seu próprio perfil, principalmente quando a loja não vende commodities (produtos com baixa diferenciação que muitas lojas vendem). Então, muito cuidado com comparações com outras lojas virtuais mesmo de concorrentes diretos. Decisão estratégica: será uma loja com o nome da marca única ou principal, ou terá nome criado conforme o tipo de e-consumidores(as) agregando produtos complementares de outras marcas?

Bem, espero ter dado a minha contribuição institucional de e-commerce desejando sucesso no seu empreendimento virtual.

Por Valter Cunha

Avalie este artigo

Importância do e-mail como ferramenta de marketing

0
Importância do e-mail como ferramenta de marketing

Importância do e-mail como ferramenta de marketing

Importância do e-mail como ferramenta de marketingO futuro do e-mail marketing é promissor. O site americano eMarketer estima que os investimentos das empresas em propaganda via email devam crescer de 338 milhões de dólares em 2006, para 616 milhões de dólares em 2011 — um crescimento de 82% em seis anos.

As pesquisas provam a eficácia do e-mail publicitário. Custos baixos, taxas de conversão elevadas, detalhamento de conversão e relatórios em tempo real são razões que fazem as empresas de diferentes segmentos e portes investirem dada vez mais no formato.

Existem diferentes ações de e-mail marketing, mas de uma forma geral, o seu site pode enviar mensagens periódicas para assinantes cadastrados que autorizaram o envio ou então do e-mail marketing em massa com objetivo de divulgar novos produtos ou promoções.

Falando de uma forma bem direta e com sinceridade, entendo que tanto o email marketing autorizado quanto o spam são importantes. Principalmente se estivermos falando sobre pequenas empresas que têm a necessidade de vender seus produtos e verbas reduzidas para publicidade.

Muitas vezes o e-mail marketing perde sua eficiência devido a alguns erros cometidos, mas nem todos são obrigados a conhecer o assunto. Por exemplo: o tamanho das imagens, o assunto, o motivo para o clique, mailings ruins e não segmentados.

Estudos mostram que o internauta acessa poucos sites por dia. Por isso é fundamental implantar um sistema de envio periódico de newsletters ou peças de marketing por e-mail. A utilização do e-mail como ferramenta de marketing é destinada a empresas que procuram uma forma de adquirir novos clientes, apresentar novos produtos/serviços aos clientes atuais ou melhorar o relacionamento com seus clientes.

Segundo relatórios do instituto de pesquisa Jupiter Research, esta mídia pode render nove vezes mais e dar 18 vezes mais lucro do que uma campanha massiva.

Veja algumas razões para adotar o e-mail marketing:

  • Excelente custo/benefício
  • Personalização da comunicação com o cliente
  • Aumenta a retenção de clientes
  • Liberdade ao cliente para cancelar o cadastro se não deseja mais receber as mensagens
  • Os resultados/respostas para campanhas de publicidade via e-mail ocorrem de forma imediata. No caso de comunicação via newsletters com os usuários do site o relacionamento é construído a longo prazo e proporciona resultados contínuos
  • Acompanhamento de resultados em tempo real, como por exemplo, número de emails que realmente foram abertos, número de cliques, quais os links mais acessados.

Apesar dos excessos do marketing on-line cometidos no passado, pesquisas provam a eficácia do e-mail publicitário: custos baixos, taxas de conversão elevadas, detalhamento de conversão e relatórios em tempo real são todas características notáveis.

Além disso, o e-mail marketing se torna a cada dia mais do que uma ferramenta para spammers e e-negócios. Os consumidores estão mais exigentes e já sabem identificar o spam, aceitando cada vez melhor o marketing de permissão baseado no e-mail. Prova disso é que 78% dos e-mails marketing enviados com permissão são abertos pelos consumidores.

Fonte: Blog do E-commerce

Avalie este artigo

Calculando o frete grátis no e-commerce

0
Calculando o frete grátis no e-commerce

Calculando o frete grátis no e-commerce

Calculando o frete grátis no e-commerce
Como calcular o frete grátis no e-commerce

Com certeza você deve estar achando que esse título do artigo está errado, porque se o frete é grátis porque ele deve ser calculado. E que na verdade o frete até pode ser grátis para o consumidor que compra, porém alguém terá que arcar com o pagamento do transporte feito terceiro que entrega. E é este cálculo que vamos mostrar como realizar.

Primeiramente, devemos definir um grupo de locais que serão ofertados essa condição de isenção. Para iniciar recomendamos que fosse definida uma região macro com o maior número de vendas nos últimos seis meses (ou menos caso não exista tal período ou faça por amostragem de estáticas gerais ligadas ao seu tipo de produto). Usando a ferramenta de Segmentação do Avançada do Google Analytics isso fica bem fácil e preciso. Com isso chegaremos a alguns números médios mensais, sendo eles: total de pedidos, peso do pedido, ticket do pedido.

Com os números médios será necessário fazer uma consulta e simulação desses números de entregas se utilizando as principais formas de entregas. Comumente são utilizados os serviços dos Correios, porém recomendando que outros fornecedores sejam consultados, porque em alguns casos se a demanda for considerável e visto que estamos trabalhando com uma região definida podemos conseguir preços melhores por conta de uma possível parceira.

Para garantir um estudo mais fiel, compare os números gerados através do melhor fornecedor de entrega escolhido com os números da sumarização dos fretes do estudo levantado. O novo número não pode ser maior que o atual, caso isso aconteça deveremos rever o estudo.

Esse valor total para efetuar o número médio de entregas dos pedidos dentro de um período mensal será o valor que você deverá absorver de alguma maneira para ofertar o frete grátis, esse valor poderá ser amortizado de algumas maneiras:

  • No preço dos produtos – No estudo com certeza saberemos através de um relatório ABC os produtos mais vendidos no período, se o preço do produto for competitivo podemos aumentar seu valor para recuperar boa parte do frete;
  • No aumento do número de pedidos – Após um mês de pratica de “Frete Grátis” será possível analisar o número de aumento de vendas, com isso será possível apurar o lucro obtido com esse aumento de vendas e é deste valor que deverá ser abatido o valor subsidiado do frete, sendo o saldo positivo a campanha foi um sucesso;
  • Redução de Custo da Operação – Analisar toda a sua cadeia operacional para encontrar possíveis gastos desnecessários e efetuar um corte, substituindo esse custo pelo valor do frete grátis do período.

Só não podemos esquecer que além de oferecer o “Frete Grátis”, devemos dar a opção de outras formas de entregas mais rápidas e através de pagamento por parte do consumidor, isso é respeitar a sua decisão.

E claro “Frete Grátis” não é sinônimo de serviço mal executado ou de segunda mão, é importante que a qualidade do serviço seja tão boa como se o consumidor estivesse pagando, porque no final das contas ele está pagando, pois é ele que está provendo ao negócio eletrônico faturamento para subsidiar esse valor.

Fonte: Guia de E-commerce

Salvar

Calculando o frete grátis no e-commerce
5 (100%) 1 voto

A cor preta no e-commerce cria um diferencial

0
A cor preta no e-commerce cria um diferencial para sua loja virtual

A cor preta no e-commerce cria um diferencial para sua loja virtual

Durante muito tempo o uso da cor preta no e-commerce foi tido como um verdadeiro tabu. Na verdade, é isso mesmo, apenas um tabu, já que está mais que comprovado, que, apesar de muita gente evitar usá-la, a cor preta funciona no e-commerce e pode ser um verdadeiro símbolo para sua loja virtual.

Não há porque temer usar a cor preta no e-commerce desde que esteja embutida dentro de um conceito. Ao contrário do que você possa imaginar, o uso do preto no layout de uma loja virtual, pode se transformar no grande apelo visual do seu e-commerce.

Todos nós sabemos da importância das cores em lojas virtuais e seu potencial para alavancar resultados, principalmente no que diz respeito à taxa de conversão. Portanto, vamos analisar com mais cuidado o seu uso.

A mensagem transmitida pela cor preta

De maneira geral, a cor preta está associada a sentimentos de pesar e introspecção, mas dependendo da situação em que ela é apresentada, também pode remeter a conceitos como luxo, dignidade e poder, e é justamente ai que entra a cor preta no e-commerce, como símbolo de distinção. Por isso, descartá-la no layout de sua loja virtual pode não ser a melhor ideia.

Vejamos o exemplo de uma loja virtual de joias, por exemplo. O preto é a cor ideal para fazer contraste com as peças, principalmente as de cor dourada e prateada. Na imagem abaixo, temos um exemplo clássico do uso da cor preta no comércio eletrônico como forma de realçar os produtos.

O uso da cor preta no e-commerce como forma de distinção de uma loja virtual
O uso da cor preta no e-commerce – Luxo e distinção

Outro exemplo do bom uso da cor preta em lojas virtuais é o do e-commerce de eletrônicos de ponta, como computadores sofisticados ou smartphones topo de linha, como na sugestão abaixo. Repare como o preto dá um certo ar de distinção aos produtos, que se estivessem em um ambiente branco, por exemplo, não teriam tanto destaque assim. Essa é a grande mágica das cores no e-commerce, criar uma mensagem visual para a loja.

Usando a cor preta em lojas virtuais
Usando a cor preta em lojas virtuais como forma de atrabuição de valor

Outra situação em que o uso da cor preta no comércio eletrônico se faz recomendado é no caso da sua loja ter produtos de cores muito vibrantes. Nesses casos, o preto ajuda a criar contraste, destacando ainda mais as imagens dos produtos.

Como você pode ver, o uso da cor preta no e-commerce, além de ajudar no destaque de produtos, também pode criar uma associação direta com luxo, poder e distinção. Um ótimo argumento de vendas, não acha?

Fonte: Blog do Curso de E-commerce

Avalie este artigo

Veja como divulgar um e-commerce de moda na internet?

0
Veja como divulgar um e-commerce de moda na internet?

Veja como divulgar um e-commerce de moda na internet?

Veja como divulgar um e-commerce de moda na internet?O setor do vestuário é renovado a cada dia com o impulso provocado pela moda e pelas novas tendências. O que era procurado ansiosamente ontem, hoje já entrou em estado de obsolescência.

Além disso, consumidores estão sempre procurando por qualidade, preço acessível e status. Em função disso, lojas de roupas para adultos, bem como o segmento do vestuário infantil e infanto-juvenil, possuem um mercado com alta demanda, o que faz com que este setor seja bastante competitivo.

Disposição e profissionalismo são ingredientes essenciais para sua loja de roupas atingir resultados altamente satisfatórios na internet. Uma coisa é montar um e-commerce de moda, outra completamente diferente é divulgar a loja.

Como divulgar um site de roupas na internet?

Primeiramente, você precisa estar convencido de que seus concorrentes possuem táticas agressivas de marketing on-line. A procura por itens de vestuário no Google é gigantesca; o segmento do e-commerce de moda é o que mais cresce na Internet e consequentemente, e a concorrência neste segmento é muito grande (além do fato de estar em franco crescimento). A questão é: seus clientes conseguirão encontrar seu website e seus produtos de vestuário em meio a esta profusão de resultados?

Estudos mostram que cada vez menos usuários avançam para as páginas seguintes nos resultados de pesquisa do Google. A vasta maioria não passa da primeira página. Se seu site de roupas não está na primeira página do Google, como contornar esta situação?

A publicidade dos Links Patrocinados do Google AdWords permite que os anúncios de seu website sejam colocados em destaque no Google, a frente de milhões de outros resultados. Esta é a forma de se obter sucesso em anunciar seu site de roupas no Google.

O conceito dos Links Patrocinados do Google AdWords é simples: exibir seus anúncios somente para clientes potenciais que estejam procurando por itens de vestuário e acessórios.

Como é realizado

Por meio de um estudo comportamental identifica-se como seu público-alvo realiza as pesquisas na internet. Com base nas palavras digitadas por eles, é possível determinar quando os anúncios de seu site de roupas irão aparecer. Isto permitirá exibir seu anúncio somente quando seu cliente estiver buscando seus produtos. E estando seu Link Patrocinado bem posicionado permitirá que você obtenha cliques, visitas e muitas vendas. No Google AdWords, você só paga pelos cliques recebidos.

As campanhas para divulgar um e-commerce de moda, por exemplo, precisam ser estruturadas de acordo com o que sua loja tem a oferecer. Por exemplo, as campanhas podem ser separadas como “Roupas Masculinas” e “Roupas Femininas”.

A partir daí é possível criar os Grupos de Anúncios, segmentando ainda mais esta subdivisão. Dentro da campanha de Roupas Masculinas podem ser criados Grupos de Anúncios tais como “Camisas”, “Camisetas”, “Calças”, etc. Então, anúncios são criados para cada item que você deseja divulgar no Google AdWords. Assim, quando o usuário digitar as palavras relacionadas ao seu produto, um anúncio personalizado, cuidadosa e profissionalmente criado, será apresentado para ele. Ao clicar no anúncio, seu cliente será levado a uma página especialmente preparada, onde o produto que ele procura estará em destaque.

A relevância dos anúncios e coerência entre as palavras-chave escolhidas, os anúncios e as respectivas Páginas de Destino são essenciais para melhorar o Índice de Qualidade. Quanto melhor seu Índice de Qualidade, menor serão os custos por cada clique recebido.

Criar Links Patrocinados para lojas de roupas exige muito cuidado e profissionalismo. Visto que muitas pessoas utilizam o nome das marcas ao pesquisar por roupas e acessórios, é preciso tomar cuidado para não violar a Política do Google AdWords relacionado a Afiliação Implícita.

Seus concorrentes estão ativos nos leilões de palavras-chave e conquistando grande parte deste mercado. Por meio da gestão profissional realizada por uma Agência Certificada pelo Google AdWords como a CLINKS, suas campanhas terão condições de alcançar os excelentes resultados que somente a mais vantajosa publicidade do mundo tem a oferecer.

Fonte: Blog do E-commerce

Avalie este artigo

Plataforma de e-commerce é o centro de tudo

0
A plataforma de e-commerce é o coração da sua loja virtual.de E-commerce como?

Plataforma de E-commerce é o coração da loja virtual

A plataforma de e-commerce é o coração da sua loja virtual.de E-commerce como?
Plataforma de E-commerce

O que chamamos tecnicamente de plataforma de e-commerce é nada mais nada menos que o centro de toda operação de comércio eletrônico. É ela a encarregada de não somente a interface da loja virtual que será visualizada pelos visitantes, como também controlar os sistemas de gerenciamento do site. É na plataforma de e-commerce que incluimos descrições de produtos, fotos, gerenciamos estoques e pagamentos. O resultado disso é dispopnibilizado pelo sistema na forma de vitrine, páginas de detalhes e outros setores da loja.

Como a plataforma de e-commerce é a base de toda a operação, devemos dispensar muita atenção a essa etapa do planejamento de um e-commerce. Não podemos correr o risco de verificar mais adiante que o sistema escolhido não atende às nossas necessidades técnicas nem às decorrentes da expansão natural das lojas virtuais, que muitas vezes ocorre de forma bem rápida.

Escolha da plataforma é passo decisivo no e-commerce

Antigamente o foco da escolha de uma plataforma de e-commerce era apenas no que diz respeito à recursos técnicos do sistema em si, como rotinas de cadastramento de produtos, opções de exibição de fotos na loja virtual e controle de pedidos entre outros. Com a evolução do comércio eletrônico, essa análise ficou um tanto desatualizada. Atualmente, como já disse em meu artigo sobre o diferencial no e-commerce atual, as rotinas de suporte ao marketing digital, ganharam uma relevância que a cada dia fica maior.

É importante que na hora de escolher uma plataforma de e-commerce você verifique alguns itens como, por exemplo:

  • Recursos para implementação de uma boa estratégia de SEO no e-commerce;
  • Integração completa da loja virtual com o Google Analytics e outras ferramentas de monitoramento;
  • Opções para implantação de recursos de interação com redes sociais e seus usuários.

Uma plataforma de comércio eletrônico é atualmente muito mais do que simplesmente um sistema de loja virtual, ela funciona como o centro nevrálgico de uma intricada rede de processos que precisam estar muito bem afinados para que sus loja virtual se transforme em um sucesso. Por isso minha preocupação com a hora de escolher uma plataforma de e-commerce, independentemente so sistema de contratação.

Mudanças na plataforma podem trazer problemas

Todo esse cuidado se justifica já que não existe troca de plataforma de e-commerce sem traumas.Não se trata apenas de transferência de banco de dados ou na pior das hipóteses o recadastramento de produtos. A mudança de sistema envolve aspectos que vão desde a quebra de rotina interna chegando inclusive a possibilidade de perda de posições no Google.

Na hora de decidir sobre qual plataforma de e-commerce usar, não se esqueça que essa parceria deve ser duradoura, para o bem do seu próprio negócio.

Fonte: Blog do Curso de E-commerce

Avalie este artigo

E-commerce para pequenas empresas é uma realidade

0
E-commerce para pequenas empresas é uma realidade

E-commerce para pequenas empresas é uma realidade

E-commerce para pequenas empresas é uma realidadeO segmento de e-commerce para pequenas empresas vem crescendo a passos largos nos últimos anos, principalmente em função da derrubada de diversas barreiras de entrada, principalmente nas áreas de TI e marketing digital que tornavam este segmento uma exclusividade das grandes empresas. Atualmente, é possível montar uma loja virtual com baixo investimento e contar com recursos que há pouco tempo atrás estavam disponíveis apenas para grandes empresas.

Antigamente, quando se falava em e-commerce para pequenas empresas, a realidade eram plataformas de e-commerce improvisadas e soluções em marketing digital primitivas, que em termos de retorno efetivo eram simplesmente nulas. Este quadro mudou, e atualmente as PMEs podem disputar de igual para igual um mercado que apresenta uma taxa de crescimento média de 25% nos últimos cinco anos, segundo os relatórios da Webshoppers, e não apresenta qualquer sinal de esgotamento, muito pelo contrário.

O espaço das PMEs no e-commerce brasileiro

O e-commerce para pequenas empresas surge como uma alternativa atraente para empreendedores pressionados pelos elevados valores de locação de imóveis e o caos urbano que tem transformado uma simples saída para compras nos shopping centers e outros centros comerciais em uma verdadeira aventura.

Como o custo de uma loja virtual é bem menor que o de instalação de uma unidade física, as pequenas empresas têm no comércio eletrônico uma opção para expansão de seus negócios, que une baixos custos e oportunidade de conquista de novos mercados. Isso tem feito com que cada vez mais, pequenos e micro empresários vejam no varejo eletrônico uma grande oportunidade de crescimento de seus negócios.

Ecomerce abre novos mercado para as PMEs

Uma das grandes vantagens do e-commerce para pequenas empresas é a expansão do mercado. Ao romper com as barreiras geográficas, o e-commerce, abre para as pequenas empresas um novo mercado, onde elas podem oferecer seus produtos para um público, que muitas vezes não tem acesso físico a eles, mas que pela Internet passa a fazer parte do rol de clientes, a um custo infinitamente menor do que o que representaria o mesmo investimento no mundo físico.

A expansão da banda larga no país é outro fator que estimula o ingresso das pequenas empresas no e-commerce. Na medida em que cada vez mais lares brasileiros têm acesso a Internet através de conexões de banda larga, cresce o universo de consumidores em potencial. Isso cria um mercado praticamente virgem para as pequenas empresas, que por limitações orçamentárias não poderiam ter acesso a esses consumidores se não houvesse a opção do comércio eletrônico.

Tecnologia e capacitação profissional não é mais problema

Como a tecnologia aplicada ao e-commerce não é mais uma barreira de entrada para os pequenos empresários, que hoje dispõem de diversas opções para a criação de uma pequena loja virtual de sucesso, criou-se um novo cenário para o crescimento.

A capacitação profissional também não é mais obstáculo já que é possível capacitar a equipe de colaboradores em qualquer lugar do Brasil, graças à educação a distância, área inclusive, que o Curso de E-commerce foi pioneiro, oferecendo cursos nas áreas de gestão de e-commerce e marketing digital de qualidade e atualizados. Quando criamos nosso curso de e-commerce para pequenas empresas ficamos surpresos com a demanda que superou em muito nossas espectativas, o que mostrou a forma desse mercado.

O importante é ter uma visão realista do mercado

Dizer que criar uma presença comercial na Internet é fácil, é vender ilusões. Em nosso curso de e-commerce dimensionamos o comércio eletrônico para pequenas empresas de forma realista, para que ninguém seja induzido ao erro. O mercado é promissor, mas exige planejamento, investimento e dedicação. A criação de um projeto de comércio eletrônico precisa partir de premissas realistas e não de promessas de um negócio fácil.

Não se trata mais de saber o que vender pela Internet, já que atualmente vende-se de tudo na web, desde carros e apartamentos até ingressos para shows. Trate-se de saber como vender com eficiência, ou seja, como o e-commerce para pequenas empresas pode criar um diferencial em relação aos grandes players do mercado e com isso garantir um Market Share para as PMEs que entram agora.

O momento do mercado é ótimo e o e-commerce para pequenas empresas, representa uma oportunidade para conquista de novos mercados e expansão dos negócios.

Fonte: Blog do Curso de E-commerce

Avalie este artigo

SEO é fundamental para o e-commerce

0
SEO é fundamental para o sucesso no e-commerce
SEO é Fundamental no E-commerce

SEO é fundamental para o sucesso no e-commerce

SEO é fundamental para o sucesso no e-commerce
SEO é Fundamental no E-commerce

SEO pra cá, SEM pra lá, otimização acolá, ora bolas, o que realmente importa para um e-commerce? Na verdade, um pouco de tudo isso! Calma, vamos explicar um pouco mais neste post sobre a importância de se otimizar o seu comércio eletrônico, não apenas para os navegadores, mas também para os seus clientes. Lembre-se que quem de fato vai comprar o seu produto é um ser humano – pelo menos por enquanto.

Um robô acessou meu site?

A resposta é: SIM! Diariamente, dependendo das configurações da sua loja virtual, robôs e mais robôs visitam o seu site. Basicamente, são scripts (códigos) programados pelos sites de busca que vasculham a internet através de informações, a fim de colocá-las (indexá-las) em seus resultados de buscas (SERPs). Talvez você os veja por aí sendo chamados de crawlers.

O fato de um robô acessar o seu site é benefíco e, diria até, motivo de alegria. Mas, de nada adianta um robô, se a estrutura da sua loja virtual não estiver preparada para passar informações importantes para ele.

O título já faz uma “pequena” diferença

O estudo sobre otimização de sites para buscadores é vasto e não vamos entrar nos mínimos detalhes. Há outros blogs dedicados ao assunto (vale uma pesquisa no robô, digo, Google) que poderão elucidar ainda mais as suas dúvidas. Como o nosso objetivo é encurtar o assunto e plantar em você a semente da curiosidade, aqui vai uma dica: O campo do título do seu site, aquele mesmo que aparece na página do Internet Explorer, Firefox, Safari, Opera ou Chrome, lá em cima, próximo das opções de minimizar e fechar, é muito importante para os navegadores!

Há quem diga que ele determina em praticamente 60% o “peso” (importância, relevância) do seu site para os buscadores. Geralmente, ali devem ser inseridas informações importantes sobre a página e, de preferência, limitadas entre 70 e 80 caracteres. O título do seu site poderia ser “Loja do João – Aqui você leva de tudo”, mas vamos imaginar um robô acessando o seu site e lendo este conteúdo… Pouco relevante, não? E que tal: “Loja do João, Panelas, Fornos Artesanais e Artigos para Camping”. Vualá, já sabemos – e o buscador também – que tipos de artigos são mais vendidos na Loja do João!

Pense na acessibilidade

Normalmente nos esquecemos de informações importantes, talvez pela pressa de deixar a página no ar, ou mesmo por não conhecermos a importância de alguns atributos da nossa loja. Se você não é desenvolvedor(a), pergunte ao seu profissional web o seguinte: “Você se preocupa com os atributos “ALT” de imagens e “TITLE” de links?”. Veja a sua resposta. Caso seja negativa, você terá motivo de sobra para puxar-lhe a orelha.

Voltemos à imaginação de que somos robôs. Nós acessamos uma determinada página e lá dentro há um link para uma outra página. Trata-se da página “Informações”, que contém dados importantes sobre a nossa empresa. Certo, mas o buscador não saberá, de prontidão, quais informações estarão contidas naquela página e, por isso, muitas vezes o navegador deixa o seu site, colocando entre os seus resultados apenas a sua página inicial. Vamos além: Os robôs dos buscadores não conseguem interpretar ou visualizar imagens, ou seja, eles as ingoram, a menos que…

A menos que a acessibilidade seja levada em conta. A acessibiliade é importante não apenas para o robô de buscas, como também para os seres humanos que acessarão o seu site. Os atributos “ALT” para imagens e “TITLE” para links, são importantes ferramentas que auxiliam a navegação de deficientes visuais e o motivo é simples: O software que acessa o site é como um robô de busca, precisa de informações especiais para guiá-lo. O conteúdo destes atributos será lido pelo software para a pessoa que acessa o seu site e aí é que você pode determinar a venda ou não de um produto para uma pessoa que tem necessidades especiais e teve vontade de acessar a sua loja virtual.

Não deixe o conteúdo de lado

Capriche nas descrições dos produtos que você coloca à venda. Copiar e colar textos longos e técnicos demais, são cansativos para os consumidores e muito mal vistos pelos robôs de busca. Procure criar descrições próprias, enaltecendo o que a sua loja virtual tem de bom e quais são as características diferencias de se comprar aquele produto com você. O conteúdo é hoje um dos fatores principais que determinam a escolha de um buscador por sites mais bem posicionados que outros.

Parcerias são fundamentais

Há um termo muito utilizado por profissionais de otimização de sites que é o Link Building – construção de referências. Basicamente, consiste em ter o link do seu site sendo indicado pela maior quantidade de páginas da internet possíveis. O Google, através do seu sistema de PageRank (ranking de páginas de internet) deixa mais bem destacados em suas pesquisas os sites que mais são indicados por outros sites na internet.

Procure por empresas e pessoas que possuem sites e estão dispostos a trocar banners ou links com você. Saiba também que, os links e banners que você coloca na sua página também estarão referenciando esta outra página e fará com que, num trabalho de formiga, ambos cresçam nos resultados, daí a importância de referenciar apenas sites de produtos ou pessoas que você conheça e acredita que valha à pena indicar para os seus clientes.

Por hoje é só!

Muito obrigado por ler o nosso post até aqui e saiba que, qualquer dúvida que você tenha sobre o assunto mencionado, basta deixar um comentário que a gente responde o mais breve possível! Até a próxima.

O então? Qual a sua experiência em SEO no e-commerce? Deixe seu comentário.

Fonte: Blog do E-Commerce

Avalie este artigo

ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES

Passo a passo de um projeto de e-commerce

O passo a passo de um projeto de e-commerce

O passo a passo de um projeto de e-commerce consistente Quando vão construir seu negócio virtual, muitas pessoas contratam uma empresa especializada em desenvolvimento de loja virtual....
10 dicas para montar um e-commerce

10 dicas para montar um e-commerce

Gestão de campanhas no Google Adwords

Gestão de campanhas Adwords