A influência dos blogs nas compras pela internet

Há 10 anos, mais ou menos, começou a moda dos blogs. “O que é um blog?”, perguntava minha mãe. “É meio que um diário onde a pessoa pode publicar coisas dela para todo mundo ver”, eu respondia. No início era mesmo. As pessoas publicavam assuntos pessoais, como fotos da última viagem ou relatos da festa de sábado à noite.  E aí, descobrimos que há uma interação entre o blogueiro e seus leitores, e que nesse tal de blog podemos dar dicas, fazer relatos sobre experiências de consumo ou ainda indicar o que e onde comprar. E é neste ponto que eu quero chegar.

Hoje em dia, os blogs são muito mais do que um diário online com fatos pessoais relatados ali. Eles são um dos meios de comunicação (se não o) mais importantes da internet e em alguns casos servem até como ”o ganha pão” de muitos internautas. Tanto é verdade, que muitas empresas e marcas famosas procuram os blogs do momento para gerar um buzz da sua marca. Por conta disso, muitos desses blogs passaram a ser o principal canal de comunicação entre a empresa e seus consumidores. Um exemplo? Natura. Com certeza a maioria das fãs das maquiagens do catálogo leem blogs de maquiagem e moda. E então, por que não fazer publicidade neles? E eu não estou falando de publicidade com banners e links patrocinados, não. Falo de convidar as blogueiras que escrevem sobre maquiagem para um evento da Natura, onde encontrarão outras blogueiras que escrevem sobre maquiagem e tirar muitas fotos para então, postá-las nos seus blogs enquanto contam como o evento foi legal e divertido. Pronto, isso é a Natura conversando com suas consumidoras, sem catálogos de maquiagem ou de um banner promocional.

Há ainda as empresas que fazem posts pagos, ou seja, acertam um valor com o blogueiro para que ele fale bem do seu produto ou serviço. Antigamente, quando isso acontecia, os leitores dos blogs ficavam irritados ao descobrirem que aquele post magnífico elogiando tal produto era pago e, portanto, podia não ser 100% verdadeiro. Hoje, ao fazer um post pago, o blogueiro anuncia que é um post pago para que o leitor não se sinta enganado.

O fato é – posts relatando a experiência dos próprios blogueiros com produtos ou serviços possui uma influência muito maior na consciência do consumidor do que as próprias propagandas. Isso se dá pelo mesmo motivo dos posts pagos: as propagandas também são pagas, ou seja, nenhuma empresa por mais fora de si que esteja, gasta milhões para produzir uma propaganda com o intuito de falar mal do seu produto ou serviço. Pode até ser, que na hora da compra você se lembre da propaganda e de tudo o que o produto promete e compre-o, mas com certeza se você leu sobre esse mesmo produto em um blog, a chance de comprá-lo sem pensar duas vezes é muito maior.

Voltando nossos olhos para o varejo online, nosso querido e amado e-commerce, essa influência é maior ainda porque, guess what?, os consumidores já estão na internet e para ir de um site para o outro é muito mais rápido e fácil! Bom, eu sou uma consumidora addicted de maquiagens, cosméticos, esmaltes e afins (afins = todo o resto, rs) e leio muitos blogs sobre esses assuntos. Em vários deles já me deparei com tutoriais de como comprar no eBay ou de como fazer compras online. E as blogueiras fazem isso sem que o eBay bata na porta delas e peça encarecidamente por um post. Tem coisa melhor do que isso? Tanto para as leitoras, que vão se sentir mais seguras em fazer suas comprinhas internacionais, como para o eBay que mesmo sem pedir ou pagar um centavo por isso, tem pessoas divulgando o site para milhões de outras.

E não é só isso! Sabemos que assim como existem muitos sites legais e confiáveis de compra pela internet, há aqueles que não são nem um pouco idôneos e abusam da confiança do consumidor aplicando golpes de todos os tipos. E vocês podem até achar que não, mas mesmo em 2011 existe muita gente que ainda não faz compras online por conta do medo de cair numa roubada dessas. E é aí que os blogs entram!

Você está lá no seu blog favorito lendo sobre, sei lá, maquiagens (eu disse que eu era addicted, rs) e descobre que tem um site super confiável que vende as maquiagens mais legais por preços bem acessíveis. Como isso? A blogueira postou lá “podem comprar nesse site, eu comprei e deu tudo certo, meu pedido chegou em x dias”. De novo, sem o site pedir um centavo em troca por isso. Quer relato mais verdadeiro que esse?

Tais relatos são a melhor parte de tudo isso. Oras bolas, é muito fácil pagar alguém para falar bem do seu produto. Quero ver é fazer alguém falar bem dele sem receber nada em troca. Como? Produzindo um produto com boa qualidade. Dessa forma, forçamos às empresas a pensarem cada vez mais no bem estar do consumidor, pois isso nos torna cada vez mais exigentes, tornando a concorrência muito mais acirrada entre as marcas e seus produtos concorrentes.

Mas não pensem que para por aí. Assim como elogios verdadeiros influenciam o consumidor na hora da compra e ajudam as empresas a se esforçarem para nos agradar, relatos negativos são muito mais verdadeiros. Influenciam o dobro e fazem com que as empresas pensem duas vezes antes de produzir e lançar determinado produto.

Pode parecer besteira, por que às vezes isso é tão automático na nossa cabeça que nem percebemos, mas isso é tão importante quanto o ar que respiramos. Ok, aqui foi a Carol marketeira falando, rs. Comecem a prestar mais atenção, vocês vão perceber essa influência. E até a próxima


Fonte: Coletivo Mídia Boom

Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here