Google Analytics no E-commerce – como usar

Olá meus amigos, como estão? Ando meio sumido devido às responsabilidades e correria do dia a dia. Mas cá estou eu novamente para falar com vocês sobre coisas bem bacanas.

Hoje vamos falar do uso do Google Analytics no e-commerce. É uma questão de suma importância e vamos ver como podemos usar o mesmo para saber coisas legais sobre nossas campanhas de marketing digital.

Para começar, você sabe como habilitar o analytics para seu e-commerce? Na página principal de sua conta, clique no botão “editar” como mostra a figura abaixo (supondo que o mesmo já esteja no mínimo com a instalação básica do Google Analytics).

Após, isso, você vai “cair” na tela de configurações da ferramenta. Clique novamente no botão “editar” (veja a figura abaixo):

Agora, preste atenção na seção “website de comércio eletrônico” Você deve marcar a opção “Sim, um site de comércio eletrônico”. Aproveite e verifique também se a moeda já está marcada corretamente para “Real brasileiro” e sua conta está devidamente linkada com a conta do Adwords (caso use os links patrocinados, é imprescindível isto). Veja na imagem abaixo:

Feito isso, clique em “salvar alaterações” e pronto. Esta parte está finalizada. Vamos agora para a parte de implementação do tracking no código fonte, listado na imagem abaixo:

Este código deve ser integrado na página de confirmação de compra de seu e-commerce. Cada loja virtual/plataforma tem suas próprias peculiaridades, portanto, faça de forma correta e deixe um programador experiente fazê-lo, pois o perfeito funcionamento deste método é primordial para o sucesso de suas estratégias.

O código pode parecer complexo, mas é simples: o que ele faz é somar os valores de cada transação e obter um subtotal da mesma (parte de baixo do código), adicionando cada item a transação total (parte de cima do código), que compreende o usuário até o momento que ele finaliza suas compras.

O bacana é que ele captura dados extremamente interessantes para cada compra realizada, como origem da compra (de onde veio o comprador), cidade e outros parâmetros que vamos ver mais a frente.

Lembrando que estes parâmetros no código acima são fictícios e para cada loja/plataforma, existe os parâmetros corretos correspondentes aos listados acima (não adianta tu pegar e colar este código lá que não vai funcionar).

Agora que já temos tudo “bonitinho” funcionando, vamos ver que informações bacanas o analytics tem para nos mostrar.

Agora, ao entrarmos na seção de relatórios de nossa conta do Google Analytics, vemos uma aba nova: Comércio eletrônico (ver figura abaixo).

Ainda não vamos mexer nesta aba. Mas ela possui muitas informações bacanas pra gente. Mas não é só ela. Veja a imagem abaixo:

Viu que legal? Para cada parâmetro temos agora uma aba “comércio eletrônico”, seja para uma determinada cidade, para um site onde colocamos um banner com uma promoção ou uma campanha de e-mail marketing.

Agora, como podemos usar isto? Bom, depende muito do segmento de atuação da loja, pois você vai definir quais métricas deve monitorar. Mas vou listar algumas coisas bacanas aqui.

Aba Visitantes

À partir daqui, é possível saber o quanto você está tendo de penetração num estado, numa cidade ou numa região inteira.

É possível também saber coisas bacanas, como se são seus visitantes novos ou antigos que são responsáveis pela maior parte de seu faturamento, e assim corrigir estratégias de marketing digital. Exemplo: 80% do seu faturamento é oriundo dos novos visitantes.

Isso significa que seu e-commerce está com um bom aproveitamento para atrair novas visitas (SEO, links patrocinados, link building, Redes Sociais.. tudo bacana). No entanto, seu atendimento deve estar pecando…. pois se os clientes não voltam para realizar mais compras, é sinal que não estão gostando!

Aba Origens de Tráfego

Para mim, a mais legal de todas. Aqui você consegue saber:

  • Se o SEO está funcionando, atraindo tráfego qualificado (leia-se que gasta dinheiro) em sua loja;
  • Se suas campanha de links patrocinados está correta, tomando parâmetros para sua correção;
  • Quais palavras chaves geram mais compras;
  • Quais sites de referência (redes sociais, blogs parceiros e etc..) geram melhor retorno;
  • Se a estratégia x aplicada no portal y gerou um ROI satisfatório, fazendo com que a campanha tenha valido à pena;
  • Se uma campanha promocional de e-mail marketing teve o resultado esperado.

São muitas as possibilidades, e cabe a você decidir quais utilizar em seu e-commerce

Aba Conteúdo

Nesta aba a importância de ter um título específico para cada página do e-commerce é ressaltada mais ainda.

Por aqui, podemos saber os detalhes de compras para cada página do site. Inclusive, para controle de categorias, prefiro analisar por aqui os números.

Agora vamos à aba “Comércio Eletrônico” e ver algumas coisas que podemos fazer com elas (não vamos ver a aba Metas, pois as metas são muito subjetivas e dependem muito do que é importante para cada empresa).

De cara, podemos ver o faturamento total, a quantidade de produtos vendidos (assim como a listagem individual de cada um), o ticket médio e outros dados mais que fazem a felicidade do consultor de marketing digital.

Você também sabe quais dias vendem menos, criando promoções especiais para estes dias se tornarem mais movimentados.

Outra coisa bacana são os filtros que você pode criar clicando em “Desempenho do Produto”.

Aqui, você consegue saber que para o produto x, 50% das vendas vieram através do Google, 33% através da promoção no portal y, 12% de redes sociais e 5% de campanhas de e-mail marketing. Legal, não é mesmo?

Para isso, clique em “Visão Geral do Produto”, escolha um produto e selecione da maneira que achar melhor a sua necessidade naquele momento quais filtros quer usar (você pode combinar os filtros, o que é mais bacana ainda).

No exemplo abaixo, eu selecionei o produto x. Aí escolhi como filtro “cidade” e “origem”, pois queria saber qual tipo de estratégia funcionava melhor para cada local.

Temos ainda como ferramentas de suporte os relatórios personalizados, os alertas, as metas e os funis, eu nos permitem monitorar a fundo o comportamento de nossa loja virtual. Não vou entrar em detalhes, pois funis, metas e relatórios personalizados são coisas muito específicas que para cada caso terá um valor diferente.

O importante é que você sabendo os dados que passei acima, você pode montar relatórios personalizados e metas em seu Google Analytics de acordo com a sua necessidade, ficando bem mais claro e fácil mensurar o sucesso de uma estratégia e conseqüentemente do planejamento todo em si.

Bom pessoal espero que tenham gostado deste artigo e que ele possa ajudá-los a melhorar o trabalho de web analytics de vocês. Conto com a opinião de vocês abaixo, pois o feedback de todos é muito importante.

Fonte: Magoweb Blog

Google Analytics no E-commerce – como usar
Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here