O novo consumidor

Houve um tempo em que pedíamos indicação da vizinha, da consultora da Avon, dos familiares e amigos mais próximos sobre quais produtos comprar. Ou só nos dávamos conta da existência de um novo produto daquela marca que adoramos por causa de um comercial lindo de 30 segundos na televisão.

Os tempos mudaram (isso já não é novidade). Não passamos mais tanto tempo assim em frente à TV e nosso círculo de amizade, hoje mais conhecido como nossa rede de amigos, cresceu e expandiu para além do nosso bairro.

Passamos horas conectadas à internet, principalmente nas redes sociais on-line (Twitter, Facebook, Orkut), nos comunicando com amigos, desconhecidos e empresas. Sabemos dos lançamentos de novos produtos através de perfis oficiais das empresas nessas redes.

Interagir, compartilhar, opinar, co-criar, tornou-se hábito nas nossas vidas.

Do consumidor passivo, que ouvia e via um comercial na TV, por exemplo, e acreditava naquilo, nos tornamos o consumidor consciente, intrigante, seletivo, produtor de conteúdo, ativo, graças à internet e as redes sociais, que nos deram espaço para falar, recomendar e criar

Assim muitos falam e muitos ouvem. Começamos a prestar mais atenção ao que nossos amigos do Twitter usam, compram ou pretendem comprar, do que no anúncio de três páginas de uma revista.

Pesquisa da Nielsen Online em 2009 mostrou que 90% dos usuários confiam nas recomendações de pessoas conhecidas e 70% confiam em opiniões de consumidores disponíveis na internet, mesmo que de desconhecidos.

E a pesquisa do IBOPE/MÍDIA (dezembro de 2010) mostrou que:

– 80% dos internautas usam a internet para comparar preços;

– 43% dos internautas costumam pesquisam na internet antes de realizar compras;

– Produtos preferidos: livros (30%), telefones e acessórios para celulares (20%), eletrodomésticos (18%) e produtos de tecnologia pessoal (17%).

O novo consumidor busca informações sobre os produtos/empresas/marcas por toda a Web, seja em sites oficiais ou nas mídias sociais. Querem se relacionar com a marca, ouvir quem já usou, experimentar novos produtos, co-criar produtos, e em seguida compartilhar as impressões com sua rede de contatos. O Marketing mais do que nunca pode atender melhor as necessidades dos seus clientes.

Dessa forma surge o Prosumer – termo criado por Alvin Toller no livro “A terceira onda” – usuários que consomem, mas também produzem conteúdo na internet, além de estarem interessados em participar do processo de construção de novos produtos das marcas que sejam fãs.

A empresa é apenas o suporte, o elo, entre os novos consumidores. Não falam apenas com os consumidores, mas ouvem e dialogam. É tempo de aplicar mais do que nunca o conceito “social” nos negócios, ou seja, valorizar as relações pessoas entre pessoas.


Fonte: Coletivo Mídia Boom

Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here