Webwriting: qual é o seu estilo de escrita?

Quantas vezes, já nas primeiras linhas, você identificou traços de um autor e por fim realmente se tratava dele?

Lembro que em todas as atividades pelas quais passei, as pessoas sempre pregavam a questão da identidade, da marca própria, do fazer diferente dos demais. Querendo ou não, somos seres únicos, e, a começar por isso, naturalmente agimos, falamos, nos relacionamos diferentemente de todos, cada um à sua maneira. Mas há algo que vai além – ou que precisa ir além – quando tratamos do ambiente digital, onde a demografia é imensa e produz-se a todo dia uma enormidade de conteúdo; todos querendo mostrar sua expertise em algo, querendo aparecer, querendo se destacar… querendo vender: trata-se de imprimir um estilo de escrita que diferencie você (ou sua empresa) dos demais webwriters, dos demais produtores de conteúdo.

E acredite, não é uma questão fácil, porque além da nossa vivência, que acabamos por transferir para o conteúdo que produzimos, há a vivência e a forma de encarar e digerir do outro. E só então é que a questão do estilo começa a se formatar: quando um número considerável de pessoas percebe a sua forma de abordagem ou de fechar um texto, o seu vocabulário, o seu ritmo, a sua forma de chamar a atenção para determinado tópico ou enfoque, enfim, percebe que há algo subjetivo mas que revela você, o que também acaba criando uma identificação do leitor/receptor com você.

Quantas vezes você se deparou com um texto que só depois de lê-lo todo, viu o nome do autor e, ainda assim, não conseguiu fazer uma ligação de criatura e criador, por mais que você conhecesse este há tempos? Quantas vezes, já nas primeiras linhas, você identificou traços de um autor e por fim realmente se tratava dele?

Escrever não é apenas uma questão técnica, gramatical, ortográfica; também entram no jogo fatores como hábitos e costumes, suas experiências e toda uma carga cultural que é você mesmo que tem de construí-la; por isso, quanto mais você se dá a conhecer coisas e experiências novas – desde um livro diferente de tudo que você já leu até uma viagem inusitada ou comum –, mais o seu repertório aumenta e mais subsídios você terá para construir o seu estilo (ou o estilo de sua empresa).

É fácil pegar de um idioma, traduzir e dizer que é seu. É fácil pegar uma matéria e mudar algumas expressões e dizer que é sua (ou de sua empresa). Mas também não é tão difícil criar, inovar, ir além do mais do mesmo e mostrar o seu diferencial. (Aliás, deveria ser uma obrigação sua.) Tente!

Reflita!

Será que conseguimos notar seu estilo e sua marca nos comentários? Então, mande ver!

Fonte: Coletivo Mídia Boom

Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here