As criptomoedas no e-commerce deverão ser uma realidade em breve

O uso das criptomoedas no e-commerce parece uma tendência irreversível a médio/longo prazo, e o movimento neste sentido já começou, e as empresas precisam estar preparadas para lidarem com essa forma de pagamento alternativa.

Embora as criptomoedas já existam há muitos anos, para a maioria do público elas ainda são “ilustres desconhecidas” e não fazem parte do dia a dia da maior parte dos consumidores, e de certa forma isso faz sentido.

Porque falar em criptomoedas no e-commerce se as pessoas estão indo muito bem com boletos, cartões de crédito e mais recentemente o Pix, não concorda?

Além disso, é difícil para maioria das pessoas entender o valor de uma moeda que não é emitida por governos, e que além disso, o lastro é matemático e computacional.

Bem, isso tudo pode ser verdade neste momento, mas o fato é que uma hora ou outra o comércio eletrônico terá que lidar com essa mudança e as moedas digitais deverão estar presentes nas plataformas de e-commerce como meio de pagamento.

O que são criptomoedas?

Talvez você ainda não saiba exatamente o que são criptomoedas, e para deixar um pouco mais claro o conteúdo desse artigo, cabe uma breve explicação.

As criptomoedas são moedas virtuais e entre elas a Bitcoin – BTC, é uma das mais conhecidas. Ela trabalha usando a tecnologia blockchain, onde as Bitcoins são “mineradas” em um algoritmo extremamente complexo.

As criptomoedas podem ser negociadas entre investidores neste tipo de ativo e também usadas para adquirir bens e serviços.

Na verdade, já existe um grande mercado para esses ativos. Um bom exemplo são as criptomoedas do metaverso, utilizadas em jogos da categoria Play to Earn, onde os jogadores recebem prêmios em moedas digitais.

Segundo o portal CoinMarketCap, a captalização do mercado de Bitcoins, ou seja, o volume de dinheiro investido neste ativo, chegou a U$ 1,2 trilhões no auge de sua cotação em 2021.

A Bitcoin é apenas uma das diversas criptomoedas disponíveis no mercado. Existem outra também altamente valorizadas como a Ethereum, Binance Coin, Cardano, Solana e outras.

As perspectivas para as criptomoedas no e-commerce

A adoção das criptomoedas como forma de pagamento em lojas virtuais é uma questão de tempo, para ser mais exato, uma questão de demanda por essa opção de método de pagamento.

Acredito que essa demanda virá em breve, puxada pelos Millennials, que estão mais familiarizados com as novas tecnologias, e por isso mesmo mais propensos a utilizarem uma criptomoeda ao invés de um cartão de crédito.

O uso das criptomoedas no e-commerce vem aos poucos conquistando o seu espaço. Cada vez mais lojas virtuais aceitam criptomoedas como forma de pagamento e a tendência é de crescimento para os próximos anos.

Me lembro muito bem quando há vários anos surgiu o PayPal e muita gente achava estranha aquela forma de pagamento.

Aqui no Brasil, o próprio PagSeguro, um dos líderes de mercado em termos de meio de pagamento online sofreu alguma resistência no início. Para aceitação do Bitcoin no e-commerce será a mesma coisa.

No longo caminho que o comércio eletrônico já trilhou desde seu início, ainda no século passado, já vimos muitas novas tecnologia serem olhadas com desconfiança no início e anos depois estarem disponíveis em diversas plataformas de e-commerce.

Por isso, acho que vale a pena apostar no uso das criptomoedas no e-commerce desde já, até mesmo para ir construindo essa cultura de meio de pagamento na operação de uma loja virtual.

Viabilidade técnica das criptomoedas no e-commerce

Muita gente se pergunta se, em função da complexidade tecnológica em que as criptomoedas estão envolvidas, seria viável a implementação nas atuais plataformas de e-commerce.

A resposta é sim e já existem diversas opções para isso, inclusive em plataformas open source como o WordPress e a Magento.

Um dos mais conhecidos plugins de e-commerce para o WordPres, o WooCommerce, por exemplo, já oferece um plugin complementar para que a plataforma possa receber o pagamento através de Bitcoins.

Esse é um passo importante para a adoção das criptomoedas no e-commerce, pois demonstra que não existe nenhum bicho de sete cabeças nesse processo. Inclusive é bem simples e a implementação do Pix aqui no Brasil ajudou bastante.

No pagamento de compras feitas na loja, onde o cliente quiser fazer o pagamento através de criptomoedas, basta que o valor seja convertido para seu equivalente à moeda digital escolhida, e seja feita a transferência entre as carteiras de criptomoedas envolvidas.

Do ponto de vista técnico é o mesmo processo que utilizamos para fazer as transações através do Pix, já disponível em diversas plataformas de e-commerce, seja através de APIs dos próprios bancos ou através de intermediadores de pagamentos.

O grande desafio das criptomoedas no e-commerce

Como vimos até aqui, a utilização das criptomoedas no e-commerce não só é tecnicamente viável como também é uma tendência que deve pressionar o mercado a médio/longo prazo.

Até aqui tudo bem. O problema está justamente em uma característica das moedas digitais com a qual não estamos acostumados a lidar em um ambiente dominado por moedas emitidas por governos de países. A sua elevada volatilidade.

Pagar pela aquisição de produtos em Real e receber em Bitcoins, por exemplo, gera uma exposição ao risco da volatilidade de preço da própria Bitcoin. Em uma tendência de baixa do Bitcoin, você não conseguiria repor o estoque pelo mesmo valor.

Para quem está acostumado a trabalhar com produtos importados, isso já faz parte do dia a dia, pois está sempre exposto à variação cambial, mas para quem não está acostumado a este tipo de risco, pode ser muito difícil equilibrar o fluxo de caixa.

A adoção de criptomoedas no e-commerce é uma questão de tempo, mas o importante para quem gerencia uma loja virtual é desde já colocar essa questão no radar, pois não se trata mais de saber se vai acontecer, mas quando vai acontecer.

Por Alberto Valle no blog do Curso de E-commerce

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here