O crescimento do consumo on-line e a demanda gerada pela oferta

Os brasileiros finalmente se renderam às compras online e tudo indica que o ano de 2010 será o grande divisor de águas na nossa maneira de consumir e de se comportar com o mercado virtual.

O constante avanço da tecnologia aliado ao maior poder de consumo e à crescente participação brasileira nas mídias sociais tem impulsionado consumidores de todas as regiões a se aventurarem em suas primeiras compras pela internet. Entretanto, muito dessa adesão pode estar relacionada ao aparecimento de dezenas de sites de compras coletivas aonde a oferta gera a demanda.

Motivados pela primeira compra, esses novos consumidores passaram a ganhar confiança e a buscar novas formas de consumir na web. Opções não faltam. De consagrados sites como o Mercado Livre e Submarino, passando pelas e-commerces de grandes lojas de departamento ao novíssimo Android Store. As opções estão em constante expansão.

De olho nesse crescimento, o Procon (Procuradoria de Proteção e Defesa do Consumidor) de São Paulo criou um site de reclamações exclusivo para o comércio eletrônico. Este novo canal que passa a atender ao consumidor paulista pode criar precedentes para que novos canais sejam criados em outros estados.

Essa iniciativa ao mesmo tempo em que dá suporte aos habituais consumidores virtuais pode fornecer mais uma dose de segurança aos que pretendem iniciar suas compras nesse novo ambiente.  Sendo a confiança e credibilidade, importantes motivadores para a efetuação de uma compra, a iniciativa paulista representa o amadurecimento de um novo meio.

O já conhecido baixo custo para se manter uma loja e a fácil divulgação através de técnicas cada vez mais criativas de uso das mídias sociais tem feito com que muita gente passe a disputar a atenção do consumidor.  Afinal, o preço na internet sempre tenderá a ser mais barato do que nas lojas físicas pelo fato do produto não ter que passar por alguns processos no canal de distribuição.

Com isso em mente, essa nova geração de consumidores motivados pelo preço passará a consumir cada vez mais pela web, o que, consequentemente, gerará futuras reclamações que demandarão mais canais como o criado recentemente pelo Procon de São Paulo.

E imagine você, que um dia chegaram a conceber que os Correios iriam sucumbir com a ascensão da Internet. Mal sabiam o que estava por vir…

Fonte: 45 Graus

Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here