Mobile Commerce e Clubes de Compras puxam a fila das tendências do Comércio Eletrônico para os próximos anos

As Lojas Virtuais brasileiras já estão consolidadas. O consumidor confia no comércio eletrônico e a venda de produtos e serviços pela internet é uma realidade irreversível. Agora, novas fronteiras começam a ser vencidas. O e-commerce já está nos dispositivos móveis e novos modelos de negócio, como os clubes de compras, chegaram para movimentar o varejo on-line.

O terreno está preparado para essas evoluções. O índice de confiança dos consumidores, segundo pesquisas anuais do e-bit, vem se mantendo acima dos 85%, percentual 5 pontos maior do que a média internacionalmente aceita como satisfatória. O faturamento das lojas virtuais aumenta numa média de 30% nos últimos três anos e as expectativas para 2010 foram todas superadas até o momento.

No caso do M-Commerce e dos Clubes de Compra, fatores específicos também contribuem para a evolução. No Brasil, o número de celulares já é quase igual ao número de habitantes . Segundo o IBGE, são 191,4 milhões de linhas em todo o país. Já os Clubes de Compra aproveitam a credibilidade e os índices conquistados pelo comércio eletrônico e o crescimento contínuo das redes sociais para aumentar a penetração entre os e-consumidores. A Brandsclub pretende faturar R$ 200 milhões no ano de 2011 e a concorrente Privália fez investimentos para tornar sua operação brasileira a maior do mundo dentro de dois anos.

Existem desafios a serem vencidos. O tráfego de dados nos telefones celulares precisa ser democratizado, permitindo o acesso das populações de menor renda aos serviços de internet móvel. Além disso, padrões de tecnologia ainda precisam ser discutidos para facilitar o desenvolvimento de versões móbile das aplicações atuais.

Já os sites de compras coletivas passarão pela prova do tempo, como todo novo modelo de negócio virtual. Nesse início há o surgimento de muitos players simultaneamente e a competição mostrará aqueles que vieram para ficar.

Uma coisa é certa para essas duas novas ondas: o brasileiro gosta de comércio eletrônico e está pronto para utilizar novas tecnologias e meios para efetuar a compra de produtos e serviços através da internet. As empresas que estiverem preparadas para oferecer soluções eficientes e seguras conseguirão se consolidar.

Fonte: Blog da Tray – Notícias, e-commerce e tudo sobre lojas virtuais.

Avalie este artigo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here